Pandemia

Remdesivir tem 'pouco ou nenhum' efeito na prevenção da morte por covid-19

O antiviral foi testado em um estudo com mais de 11 mil pessoas em 30 países e foi publicado na noite de quinta-feira (15/10), apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

Agência France-Presse
postado em 16/10/2020 10:31
 (crédito: Ulrich Perrey/AFP- 8/4/20)
(crédito: Ulrich Perrey/AFP- 8/4/20)

Considerado um dos tratamentos mais promissores contra a covid-19, o antiviral Remdesivir se mostra ineficaz na prevenção da morte por essa doença - informa um estudo apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O medicamento "parece ter pouco ou nenhum efeito sobre os hospitalizados por covid-19, conforme indicado pelas taxas de mortalidade, início da assistência respiratória, ou tempo de internação hospitalar", explica este estudo publicado on-line na noite de quinta-feira (15/10).

Originalmente destinado ao tratamento do vírus Ebola, o remdesivir fazia parte do coquetel experimental administrado ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, após contrair o coronavírus no mês passado. É um dos vários medicamentos analisados por este grande estudo com mais de 11 mil pessoas em 30 países.

Os dados, que ainda não foram revisados por outros médicos antes de serem publicados em um jornal científico, parecem contradizer pelo menos dois grandes estudos americanos que mostraram que o Remdesivir pode reduzir o tempo de hospitalização de pacientes com covid-19.

Os Estados Unidos autorizaram o uso do medicamento em 1º de maio, fabricado pela farmacêutica norte-americana Gilead Sciences. Posteriormente, União Europeia e outros países também autorizaram seu uso.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação