Pesquisa

Anti-inflamatório reduz risco de morte por covid-19, segundo estudo

O estudo mostra ainda que esse medicamento diminui o tempo de internação dos pacientes e diminui a necessidade de respiração artificial

Agência France-Presse
postado em 11/02/2021 15:15
 (crédito: AFP / TARSO SARRAF)
(crédito: AFP / TARSO SARRAF)

Um medicamento anti-inflamatório, o tocilizumab, reduz o risco de morte entre os pacientes hospitalizados pela covid-19, de acordo com os resultados de um amplo estudo, qualificado como uma "boa notícia", segundo especialistas.

"Para cada 25 pacientes tratados com tocilizumab, uma vida adicional seria salva", afirmam os responsáveis pelo ensaio clínico britânico Recovery, que testa uma variedade de medicamentos contra o SARS-CoV-2.

O tocilizumab, usado contra a artrite reumatoide, é administrado por via intravenosa.

O estudo mostra ainda que esse medicamento diminui o tempo de internação dos pacientes e diminui a necessidade de respiração artificial.

"Esta é uma excelente notícia", acrescentou Anthony Gordon, professor de anestesia e terapia intensiva do Imperial College London, que não participou dos testes.

Cerca de 4.000 pacientes gravemente doentes são tratados com tocilizumab no Reino Unido.

"Agora, mais pacientes se beneficiarão deste tratamento", ressaltou.

Testes anteriores com essa droga "produziram resultados atenuados", lembra Peter Horby, da Universidade de Oxford, responsável pelo estudo Recovery, em um comunicado.

Seus benefícios agora se somam aos dos esteroides: associado a um esteroide como a dexametasona, o impacto na mortalidade é "significativo", explicaram os pesquisadores.

Os dados "sugerem que entre os pacientes com a covid-19 que sofrem de hipóxia (falta de ar) e inflamação significativa", a combinação de ambas as medicações "reduz a mortalidade em cerca de um terço entre aqueles que precisam de oxigenação simples e em quase metade entre aqueles que precisam de ventilação mecânica invasiva (respirador)", de acordo com o estudo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE