COVID-19

Com 2 doses, vacina da Pfizer garante 90% de eficácia contra todas as variantes, diz estudo

Durante os seis primeiros meses após das duas doses, a vacina da Pfizer mostrou uma eficacia de 90% contra todas as variantes da covid-19, após o período a eficácia cai para 44%

Helena Mandarino Dornelas*
postado em 05/10/2021 18:46
Estudo da Pfizer-BioNTech com a Kaiser Permanente  -  (crédito: Frederic J. Brown/AFP)
Estudo da Pfizer-BioNTech com a Kaiser Permanente - (crédito: Frederic J. Brown/AFP)

De acordo com estudo publicado pela revista científica The Lancet, a vacina da Pfizer-BioNTech garante uma eficácia de 90% para os casos graves, contra todas as variantes e durante os seis primeiros meses. 

O estudo foi organizado pela Pfizer e a operadora de planos de saúde Kaiser Permanente analisou dados médicos de mais de três milhões de pessoas, entre dezembro de 2020 a agosto de 2021, no sul da Califórnia.

Foi constatado que a eficácia da vacina diminui ao longo do tempo. No mês seguinte à segunda dose a eficácia é de 88% e após seis meses esse número passa a ser de 44%. Os dados diminuem de acordo com a eficácia e não com o surgimento de variantes mais contagiosas.

País recebeu ontem mais um lote da vacina da Pfizer-BioNTech. Pouco mais de 628 milhões de doses desembarcam no aeroporto de Campinas
País recebeu ontem mais um lote da vacina da Pfizer-BioNTech. Pouco mais de 628 milhões de doses desembarcam no aeroporto de Campinas (foto: Thomas Kienzle/AFP)

“Nosso estudo confirma que as vacinas são uma ferramenta central para controlar a epidemia.” explicou Sara Tartof, principal autora do estudo e membro do Departamento de Pesquisa e Avaliação da Kaiser Permanente.

Entre os registros analisados, 5,4% das pessoas tiveram coronavírus, desses 6,6% foram hospitalizados. O tempo médio de vacinação dessas pessoas era de três a quatro meses.

A pesquisa confirmou o que os dados apontados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) e o Ministério da Saúde de Israel já haviam apontado: a eficácia contra a covid-19 diminui conforme o tempo passa.

Para Luis Joda, vice-presidente e diretor médico da Pfizer, as descobertas do estudo explicam os motivos das pessoas se contaminarem mesmo após as duas doses e reforça a importância de expandir a vacinação no mundo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE