Programação

Sesc DF promove até 30 de agosto festival on-line Viva Cultura

Em tempos de pandemia, o Sesc DF adaptou-se ao cenário e segue fomentando cultura através do festival on-line Viva Cultura

Geovana Melo*
postado em 30/07/2020 06:02
 (foto: Mateus Ferrari/Divulgação)
(foto: Mateus Ferrari/Divulgação)

Com o fechamento de teatros, cinemas, museus, bibliotecas, circos e galerias, as transmissões ao vivo são aliadas das artes durante o período de isolamento social, e as apresentações virtuais se tornaram comuns. Com o objetivo de fomentar cultura e oferecer apoio aos artistas do Distrito Federal, o Sesc DF promove até 30 de agosto, de quinta-feira a domingo, o festival on-line Viva Cultura, que une música, teatro, dança, literatura, circo e artes visuais.

As apresentações são transmitidas por meio das redes sociais da instituição e do canal oficial do Sesc-DF no YouTube. “O Viva Cultura surgiu da necessidade de reagir diante dessa crise que o setor cultural vem passando, para que possamos atuar, de certa forma, sendo uma agente de transformação nesse momento, que existe a retração das necessidades. Todos os artistas, músicos e técnicos de cultura estão parados, sem a possibilidade de trabalhar nesse momento. Um dos objetivos é mostrar essa reação de uma crise grave que se abateu no setor cultural. Além de continuar entregando os nossos produtos para o público e minimizar o impacto da pandemia nas vidas das pessoas”, conta o coordenador de Cultura do Sesc-DF, Alexandre Costa.

“Outra questão é apoiar o segmento artístico e cultural da cidade, por meio de contratação. Ao final, vamos ter mais de 350 profissionais contratados ao longo do projeto. Estamos testando e entendendo novas possibilidades de atuação para a cultura. Mesmo após a pandemia vamos continuar com as atividades on-lines, por que a gente mapeou e viu que é uma forma mais democrática de dar acesso”, completa Alexandre.

Nesta quinta-feira (30/7), a programação fica por conta de uma oficina de dança com Jô Gomes e do coletivo Vira-Latas em parceria com o grupo Novos Candangos. A companhia brasiliense de teatro apresentará, às 20h, a peça A radialista do fim do mundo, um monólogo interpretado por Tati Ramos. Na trama, ela vive uma mulher que enfrenta sozinha uma realidade pós-apocalíptica dentro de um estúdio de rádio. Para driblar o medo, o isolamento e a solidão, a personagem passa o tempo como radialista e tenta transmitir um programa ao vivo, sem saber se há ouvintes.

“A ideia do monólogo surgiu em 2015, antes da pandemia. Meu pai é radialista e escuta rádio de vários países, e ele me mostrou um aplicativo que faz uma busca dessas rádios. Em uma madrugada com uns amigos ficamos ouvindo uma rádio de algum ponto do Polo Norte, foi aí que surgiu a ideia de uma pessoa sozinha e isolada fazendo uma transmissão, sem saber se estava sendo ouvida por alguém. Agora, em 2020, esse monólogo que estava engavetado, conversava bastante com esse momento que estamos vivendo”, destaca o roteirista e diretor brasiliense Diego de León.

O formato on-line foi uma novidade para a companhia teatral e se aproxima da produção audiovisual. “Estamos tentando descobrir essa nova forma de se expressar, tentando também ser fiel a arte teatral. Nós não estamos fazendo um filme, nós estamos experimentando a internet como uma nova plataforma para fazer teatro”, pontua León.

Serviço

Festival Sesc Viva Cultura
Até 30 de agosto, no canal oficial do Sesc-DF no YouTube e nas redes sociais. Transmissão gratuita. Classificação indicativa de acordo com a programação.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação