Políticas públicas

RAs fazem mutirão para cadastrar artistas na Lei Aldir Blanc

As gerências de cultura têm se empenhado na divulgação das informações e no atendimento aos agentes culturais, para auxiliá-los com o cadastro

Correio Braziliense
postado em 21/10/2020 17:38 / atualizado em 21/10/2020 17:38
 (crédito: Arquivo Cluvic/Divulgação)
(crédito: Arquivo Cluvic/Divulgação)

Está aberto até 30 de outubro o cadastramento de entes e agentes culturais que desejem ser beneficiados pela Lei Aldir Blanc, nas linhas 1 (pessoa física) e 2 (espaços culturais, coletivos, empresas artísticas e afins). A Lei Aldir Blanc é um auxílio financeiro concedido para os trabalhadores da cultura em razão das dificuldades enfrentadas devido à pandemia.

Para fazer com que o auxílio chegue a quem precisa, a maioria das regiões administrativas do Distrito Federal promovem atividades de divulgação, chamamento e auxílio no cadastramento daqueles que têm dificuldades de acesso à internet ou com o próprio formulário. A ajuda pode ocorrer por meio de teleatendimento ou presencialmente.

O gerente de Cultura de Ceilândia Márcio Nunes tem divulgado informações nas redes sociais da administração e nos grupos de movimentos culturais do WhatsApp, além de realizar, com a equipe, atendimento por videoconferência com aos artistas. “Estamos empenhados em auxiliar da melhor forma a comunidade cultural, para que o recurso os socorra neste período crítico para os segmentos culturais”, afirmou, em material enviado pela Secec à imprensa.

Na mesma nota, o gerente de cultura e membro titular do Comitê Consultivo de Aplicação da Lei Aldir Blanc do Distrito Federal Marco Gomes destacou o empenho para auxiliar a comunidade de Taguatinga. Além de propagar todas as informações da Aldir Blanc disponibilizadas pela Secec, foi criado um posto de atendimento presencial na Praça do Relógio, na sede da administração. “Na função de gerente de Cultura, propago, por meio de redes de artistas da cidade, as informações veiculadas pela Secec no grupo de WhatsApp ‘Difusão Aldir Blanc'”, completou Marco.

O gerente de Cultura de São Sebastião Jozivaldo Silva adotou uma estratégia didática para difundir as informações, com publicações nas redes sociais no formato “você sabia?", além de inserções em programas de rádio e lives realizadas por ele. “A nossa gerência de cultura está disponível e estamos fazendo o possível para que todos os artistas, grupos e coletivos consigam fazer seus cadastros”, afirmou.

A Gerente de Cultura, Esporte e Lazer da Administração do Plano Piloto Danielly Fernandes considera a mobilização dos artistas da cidade um dos pontos decisivos no trabalho de multiplicação da informação. “No caso da RA I, a divulgação foi realizada por via das redes sociais e grupos de WhatsApp e Facebook. De qualquer forma, os nossos artistas se manifestam nos grupos onde acontece a divulgação, quando surgem dúvidas a respeito do cadastro, por exemplo. Então, sim, a experiência foi positiva”, considerou.

Ainda de acordo com a Secec, 12 RAs (Cruzeiro, Sobradinho, Águas Claras, Octogonal/Sudoeste, Lago Norte, Riacho Fundo II, Arniqueiras, Ceilândia, Guará, Itapoã, Plano Piloto e Vicente Pires) tem investido na repercussão das informações pela internet, e outras sete (Brazlândia, Itapoã, Gama, Samambaia, São Sebastião, Santa Maria e Taguatinga) tem adotado todas as opções de divulgação sugeridas pela secretaria.

CPFs aprovados

O secretário-executivo da Secec Carlos Alberto Júnior informou que o processo de validação das inscrições está bastante avançado. “Estamos em uma fase em que já temos o retorno da DATAPREV sobre os CPFs aprovados, após o cruzamento de dados com as regras da Lei nº 14.017. Depois disso, vamos entrar em contato um a um para pegar os dados bancários e realizar o repasse”, afirmou.

De acordo com o levantamento realizado pela área técnica da Secec, até o momento, 2723 agentes culturais se cadastraram na linha 1 e 876 grupos se cadastraram na linha 2.

De acordo com o levantamento realizado pela área técnica da Secec, até o momento, 2723 agentes culturais se cadastraram na linha 1 (pessoa física). Já na linha 2, que se refere a espaços culturais e coletivos, o total de cadastros chegou a 786.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação