REDES SOCIAIS

Filha de Fafá de Belém revela abuso sexual durante infância

Cantora Mariana Belém foi salva pela mãe, Fafá, mas só contou detalhes à matriarca 33 anos depois

Correio Braziliense
postado em 26/11/2020 08:38
Mariana Belém encoraja mulheres a denunciar abusos como o que ela sofreu e a falar sobre isso -  (crédito: Instagram/Reprodução)
Mariana Belém encoraja mulheres a denunciar abusos como o que ela sofreu e a falar sobre isso - (crédito: Instagram/Reprodução)

A cantora Mariana Belém, filha de Fafá de Belém, revelou nesta quarta-feira (25/11) ter sido vítima de abuso sexual quando era criança. Num relato corajoso via instagram, Mariana disse que a violência aconteceu quando ela tinha 7 anos de idade, mas ela só conseguiu contar para Fafá 17 anos depois, "por alto", e somente agora, passados 33 anos, com detalhes.

No post, Mariana encoraja mulheres a denunciarem quando forem abusadas. "Algo me fez correr porque achei errado um homem que deveria cuidar de mim estar passando a mão dentro do meu biquíni, colocando a minha mão no pênis dele e pedindo para eu 'dar beijo' naquela parte do corpo dele. Algo fez minha mãe chegar enquanto eu corria dele. Algo ali me salvou de algo pior", relata Mariana no post. "Eu lembro do quarto, eu lembro da casa, eu lembro do exato momento em que minha mãe entrou na casa, eu lembro de detalhes, das frases", continua.

Mariana conta que teve ajuda de terapia e de leituras para viver sem "traumas maiores". Mas ela questiona: "E quem não teve terapia? Informação? Uma mãe confidente? Se nem eu consegui contar pra minha, sempre aberta a conversar sobre tudo... Eu me achava responsável. Eu achava que a culpa era minha. Eu tinha vergonha. Eu tive medo por anos. Quantas meninas, quantas mulheres não conseguiram correr? Quantas meninas acreditaram nos amigos dos pais, em familiares e tiveram sua confiança quebrada e seu corpo violado? Precisamos sim falar sobre Abuso. Precisamos ler e proteger nossos filhos, amigos".

Na foto, Mariana Belém aparece segurando o livro Abuso, da jornalista Ana Paula Araújo, justamente sobre a importância da denúncia. "Se esse relato fizer pelo menos uma pessoa se sentir acolhida, parte de algo ou até encorajar alguém a se abrir, eu já sentirei um alívio ainda maior", finaliza.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE