Cultura

Novo coletivo de mulheres de São Sebastião faz primeira live

Primeiro evento da Coletiva Sebastianas - Território Cultural, reúne diversas linguagens e homenageia o poeta Ray Cruz, morto em 2018

Correio Braziliense
postado em 26/11/2020 20:00
 (crédito: Coletivas As Sebastianas/Divulgação)
(crédito: Coletivas As Sebastianas/Divulgação)

A Coletiva Sebastianas – Território Cultural realizará, nesta sexta-feira (27/11), uma live com artistas locais e que homenageia o poeta Ray Cruz, que morreu em 2018. Trata-se da primeira atividade pública do coletivo formado no fim do ano passado por dissidentes do coletivo Casa Frida, também de São Sebastião.

O evento será transmitido diretamente de uma laje da cidade, começando ao pôr do sol, pelo Instagram do grupo. A programação conta com atrações locais em diversas linguagens. Às 18h, o artista visual Ricardo Caldeira abre os trabalhos com uma performance em homenagem a Ray Cruz. Depois, o grupo de pagode Toda Hora agita o bailão, e a DJ Tali_Nda assume as pick ups. A artista plástica Xibi Rodrigues também fará uma pintura ao vivo.

A festa é comandada pela mestre de cerimônias Camila Nunes, cofundadora da coletiva. "Essa live é uma retomada dos nossos trabalhos e anseios dentro da cultura na nossa cidade. Honrar a vida e morte de Ray Cruz é para nós fundamental para esse processo", explica Camila, em material divulgado à imprensa.

O projeto é realizado com recursos oriundos de uma emenda parlamentar, com fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) do Distrito Federal, com realização da Associação Artística Mapati, correalização da Coletiva Sebastianas – Território Cultural e apoio do Instituto Macondo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE