CCXP Worlds

CCXP: 'É um Brasil do futuro', define Lázaro Ramos sobre 'Medida provisória'

O filme tem direção de Lázaro Ramos com Seu Jorge, Taís Araújo e Alfred Enoch no elenco

Adriana Izel
postado em 04/12/2020 20:13 / atualizado em 04/12/2020 20:15
 (crédito: CCXP/Reprodução)
(crédito: CCXP/Reprodução)

O longa-metragem Medida provisória foi tema de um painel da CCXP Worlds desta sexta-feira (4/12). O filme é dirigido por Lázaro Ramos e tem no elenco Seu Jorge, Taís Araujo e Alfred Enoch, que vive o trio de protagonistas. No bate-papo na convenção brasileira participaram o diretor e Seu Jorge e Taís Araujo.

"É um Brasil do futuro. Eu queria falar de um outro extrato da população", afirma Lázaro Ramos sobre a ideia da produção e a decisão de fugir do gênero de "favela movies". O ator fez questão de contextualizar a história que acompanha essa família composta pela médica Capitu (Taís Araujo), o jornalista André (Seu Jorge) e o advogado vivido por Alfred, que vão se encontrando em meio às questões raciais num futuro nem tão distante assim.

"Estamos falando de um Brasil daqui a três ou quatro presidentes, projetando a presença da gente (do povo negro) em lugares de expressão. Vamos ver a diáspora em setores mais diversos", defende Seu Jorge, destacando o contexto do trio de protagonistas na narrativa, que está longe do lugares óbvios para os personagens negros. "Ele (Lázaro Ramos) queria tirar esse estereótipo. Meu personagem é um jornalista, tem pretensões positivas, compreende outras coisas", completa.

"Acho que é uma provocação para quem não está acostumado a entrar no consultório e ver uma médica ou médico negro. Eu acho que também serve para construir um imaginário que já existe, existem muitos médicos e médicas negras", completa Taís.

Durante o painel, o trio divulgou um trecho do filme. Na sequência, aparecem os personagens de Alfred e Seu Jorge numa discussão com os moradores do prédio em que vivem, quando alguns deles falam frases racistas, como a personagem interpretada pela atriz Renata Sorrah que diz: "tudo isso ocorreu quando vocês resolveram conquistar as coisas por lei, e não por mérito". Nesse momento, a produção mostra que, apesar de estar no futuro, o preconceito ainda é algo presente no país de Medida provisória.

O público pode esperar uma produção com boa dose de humor, o que Lázaro Ramos diz ser mérito da presença de Seu Jorge, que improvisou em diversos momentos do filme. "Eu quis muito ter Seu Jorge, porque ele fazia coisas além do roteiro. Acho que o filme precisava desse cara debochado. Ele é um dos heróis do filme", justifica o diretor.

Antes da pandemia, Medida provisória tinha previsão de estreia para 3 de outubro de 2020. Por enquanto, a produção não tem data oficial para ser lançada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE