Música

Roberta Campos lança EP composto durante isolamento social

Ao Correio, Roberta Campos compartilha sobre os significados do EP 'Só conheço o mar' e o processo de produção

Paula Barbirato*
postado em 11/12/2020 17:59 / atualizado em 11/12/2020 17:59
 (crédito: Victor La Corte/ Divulgação)
(crédito: Victor La Corte/ Divulgação)

No início de 2020, Roberta Campos decidiu escutar uma música por dia durante o ano. Com companhia das composições de Djavan, Marisa Monte, Julieta Venegas, Tuyo e Juanes, a artista escreveu o novo EP Só conheço o mar. Lançado nesta sexta (11/12), o trabalho está disponível nas plataformas digitais e representa os sentimentos da cantora durante a quarentena.

“O primeiro impacto do isolamento foi que fiquei travada. Depois, comecei a ter uma conversa comigo e iniciei as composições”, revela Roberta Campos em entrevista ao Correio. Segundo a cantora, embora tenha passado o período ao lado da companheira Marina Campos, foi um momento de olhar para si. Só conheço o mar surge para mostrar ao público os diferentes sentimentos experienciados na ocasião.

Cada acorde é seu; Meu amor é seu, acompanhado por clipe; Sentinela; Me leve para voar; e Tudo vai ficar bem são as faixas escritas por Roberta Campos que integram o álbum. A primeira também foi assinada por Marina Campos. ‘Eu deixei, de propósito, um espaço em branco para ela, que faz parte do meu isolamento e da minha vida. Porque faz todo sentido ter ela nessa canção, abrindo o EP, como se fosse a gente conversando”, explica a compositora.

Produção

Para se aproximar ainda mais das próprias composições, a artista resolveu também ser a produtora do EP. Em 2010, ela vivia a primeira experiência neste sentido. Fez todos os processos de produção sozinha no disco independente de estreia da carreira Varrendo a lua. Este trabalho a levou a produtora Deck, pela qual lança Só conheço o mar, dez anos depois.

Quatro dias no estúdio foram necessários para realizar a gravação completa de Só conheço o mar. Ao contrário do estilo mais minimalista de voz e violão de Roberta Campos, desta vez ela decidiu preencher as canções com mais letras e instrumentos de sopro, por exemplo. “A música da gente está sempre em uma mutação, mesmo que mais discreta, acrescentando vivências. Acredito que essas músicas tiveram isso intensamente”, pontua.

O ano de 2020 se encerra com o lançamento do EP e o aniversário da cantora que chega no fim de dezembro. "Por mais que a gente esteja no meio disso tudo, pra mim ainda é uma renovação. Na virada do meu ano pessoal, que é dia 29, eu tenho esperança de que será com outra energia, mesmo que seja para enfrentar o resto de pandemia”, afirma Roberta Campos, que prepara o lançamento de um outro álbum para 2021.


 *Estagiária sob supervisão de Adriana Izel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE