Música

'Cor': Duo Anavitória lança álbum com participações de Lenine e Rita Lee

O disco foi divulgado de surpresa na sexta-feira (1º/1) nas plataformas digitais

Adriana Izel
postado em 02/01/2021 14:59 / atualizado em 02/01/2021 15:01
 (crédito: Breno Galtier/Divulgação)
(crédito: Breno Galtier/Divulgação)

A dupla Anavitória, formada por Ana Caetano e Vitória Falcão, lançou, nesta sexta-feira (1º/1), o álbum Cor. O disco chegou às plataformas digitais de surpresa e é o quarto da carreira das cantoras que iniciaram o duo em 2013. O CD é composto por 14 músicas e conta com participações de Rita Lee e Lenine.

Cor foi concebido na pandemia de covid-19 e tem produção musical de Ana Caetano e Tó Bandileone, do grupo 5 a Seco, que também gravou violão e guitarra. As canções seguem a leveza característica da dupla nas letras e na sonoridade. Chama a atenção a percussão acentuada do musicista Felipe Roseno, que traz um diferencial ao trabalho nas faixas que abrem o disco Amarelo, azul e branco e Te amar é massa demais. Acompanham ainda Anavitória os músicos Mari Jacintho, nos teclados; Valmir Bessa, na bateria; Fabio Sameshina, no baixo; Conrado Goys e a portuguesa Maro, no violão e na guitarra; e Will Bone, nos metais.

Pelas redes sociais, as cantoras falaram sobre o álbum que contou com várias mãos e agradeceram aos parceiros no projeto. "Ter feito esse trabalho no meio da pandemia, foi uma tentativa de enxugar ao máximo e ir pelo caminho da confiança. Foi um processo mais longo que qualquer outro que tenhamos vivido, muito cuidadoso e tudo isso é por conta dessa equipe foda e cheio de amigos do coração. Cada detalhe, nos seus diferentes lugares se somam para termos tudo isso nos ouvidos e olhos de vocês. Um brinde, um salve, um risco de luz no céu a essa gente que brilhou os olhos junto de nós duas e fez o Cor nascer do jeitin (sic) que ele tá", diz a publicação.

Repertório de Cor de Anavitória

Cor abre com Amarelo, azul e branco, uma espécie de faixa biográfica das duas jovens de Araguaína, cidade interiorana de Tocatins, em que a dupla canta "Eu canto pra viver/ Eu vivo o que tenho cantado/ A minha voz é meu império/ A minha proteção/ [...] Meu caminho é novo, mas meu povo não/ Meu coração de fogo vem do coração do meu país/ Meu caminho é novo, mas meu povo não/ O Norte é a minha seta, o meu eixo, a minha raiz". É também na primeira música do disco que aparece a participação de Rita Lee, que, em vez de cantar, recita versos, dando um toque especial à faixa.

Logo em seguida, o disco traz outra canção que flerta com samba-reggae Te amar é massa demais, com uma mensagem sobre aproveitar o momento ("não vamo esperar o ano acabar de novo/ pra gente se ver"), o que reflete a vivência de um ano pandêmico. Destaque também para Tenta acreditar e Terra, faixas em que o duo arrisca na sonoridade. O encerramento do disco é com a participação de Lenine em Lisboa, música mais romântica e que se adapta ao canto do convidado. As demais músicas seguem o formato que fez a dupla famosa.

Além da versão digital do álbum nas plataformas de streaming, todas as canções ganharam vídeos no YouTube. Os clipes tiveram direção de Leonardo Lobo, doismilium e Gabriela de Melo. O único que teve outra direção foi da faixa Eu sei quem é você, uma das mais românticas do material, que contou com direção de Belle.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE