Cinema

Estreias nas telonas da semana vão de comédia a ação; confira

Destaques entre as estreias deste fim de semana são 'Um tio quase perfeito 2' e 'Legado explosivo'

Ricardo Daehn
postado em 07/01/2021 07:13
O longa 'Um tio quase perfeito 2' vem alavancado pelo carisma de Marcus Majella -  (crédito: DESIREE DO VALLE)
O longa 'Um tio quase perfeito 2' vem alavancado pelo carisma de Marcus Majella - (crédito: DESIREE DO VALLE)

Numa onda de tranquilidade da família, o personagem central de Um tio quase perfeito 2, conhecido como Tio Tony (Marcus Majella), vai experimentar a turbulência com a chegada de uma espécie de rival. Beto, papel interpretado por Danton Mello, se revela adorável, à medida em que invade a zona de conforto de Tony. Beto ameaça até mesmo a posição de preferência entre os sobrinhos de Tony.

Um tio quase perfeito 2 chega aos cinemas na mesma data do longa policial Legado explosivo. A comédia nacional desemboca nas telas praticamente três anos e meio depois do primeiro filme também dirigido por Pedro Antonio. Enquanto o trabalho de Pedro é muito lembrado por comédias como Tô ryca! e Altas expectativas (com a brasiliense Camila Márdila e codireção de Álvaro Campos), o comediante Majella não se descola de sucessos como 220 volts!.

No novo filme, o Tio Tony chega com mais responsabilidade e descolado da vida de pequenos golpes aplicados antigamente, ao lado da mãe Cecília (Ana Lúcia Torre). Desapegado da postura de golpista, Tony será coordenador de uma colônia de férias montada com a participação dos sobrinhos, todos filhos da irmã dele, Ângela (Letícia Isnard). Entre a criançada despontam Patrícia (Julia Svacinna), dona de muita noção de luta a favor do meio ambiente; a pequena Valentina (Soffia Monteiro), esportista de modalidades nem tão convencionais; e João (João Barreto), um youtuber precoce e que tem a imaginação incendiada pela profunda relação com o cinema.

Conquista

Quando tudo parece seguir em ordem na vida de Tony, surge um imenso problema: aparentemente inofensivo, Beto aparece, muito disposto a conquistar o coração de Ângela. O fato vai, inevitavelmente, trazer a proximidade com os sobrinhos de Tony que, num crescente, sentirá ciúmes de se constatar desbancado. Adepto de produtos orgânicos e com uma linha de atitudes muito equilibradas, Beto, como novidade, vai conquistar toda a atenção do trio central de crianças.

Uma das grandes apostas nos cinemas nacionais, Um tio quase perfeito 2 vem na esteira de sucesso do primeiro filme, o sétimo título nacional a vender ingressos no ano de 2017: foram quase 560 mil pessoas interessadas em ver a fita nos cinemas. Na frente dele, estiveram sucessos como Minha mãe é uma peça 2; Polícia Federal — A lei é para todos e Detetives do Prédio Azul.

Muita explosão por quase nada

Com rara gama de mentiras sobrepostas, se levada em conta a credibilidade das situações que formam a narrativa do longa Legado explosivo, o novo filme estrelado por Liam Neeson, beira o constrangedor. Aos 68 anos, o astro de cinema vem colecionando leva de produções que unem temas como vingança, desfalques financeiros e ação dos serviços de inteligência governamentais. Num retrospecto recente da lista destes filmes, Neeson está presente no elenco de Vingança a sangue frio, As viúvas e MIB: Homens de Preto — Internacional.

Legado explosivo se revela má escolha para a carreira do irlandês: sob a direção de Mark Williams (cineasta também de Um homem de família e criador da série Ozark), Neeson tem por missão roubar solitariamente bancos, dar alguns tiros e montar explosivos — tudo com um semblante dramático incapaz de amenizar a falta de lógica do roteiro. No filme, depois de amontoar US$ 9 milhões derivados de roubos, o protagonista Tom, que não faz uso do montante, cai de amores por Annie (Kate Walsh, de Grey’s anatomy), e sim, deseja, do nada, se entregar às autoridades, numa incoerência de desanimar qualquer espectador.

A luta pela unidade de famílias em enredos de crimes e os dilemas de ladrões postos a provas éticas são constantes no universo criativo do também roteirista Mark Williams (cocriador de Legado explosivo, com Steve Allrich). Envolvidos no caso de capturar o personagem de Neeson, os agentes do FBI Hall e Nivens (pela ordem, Anthony Ramos e Jai Courtney) dão de cara com US$ 3 milhões e passam a titubear quanto ao destino da grana. Balizando a ética e atento ao movimento suspeito dos colegas, surge Baker (Robert Patrick, o famoso T-1000 da saga O exterminador do futuro).

Além dos diálogos pobres e autoexplicativos, Legado explosivo investe firme numa falta de química entre Neeson e Kate Walsh. Ela, definitivamente, não parece se conformar da roubada em que se meteu — e ainda ter no mesmo filme, o irlandês de ares sombrios como expert do manejo de explosivos não tensiona a partida, nem com ligação direta!

Confira também destaques no streaming

Pieces of a woman

Estrelado por Vanessa Kirby (vencedora como melhor atriz no Festival de Veneza), o longa do húngaro Kornél Mundruczó retrata as consequências de um parto que tem uma protagonista acusada de negligência. Atração da Netflix, com Shia LaBeouf e Ellen Burstyn no elenco.

10 horas para o Natal

Comédia de Cris D´Amato, com o protagonismo de Luis Lobianco. No enredo, crianças filhas de pais separados tramam ocasional revival do amor da mãe e do pai, a fim de celebrar um Natal em família. Na Amazon Prime Video.


A assistente

Dirigido por Kitty Green, tem trama baseada em aspectos do instinto predatório do produtor de cinema Harvey Weinstein. Julia Garner é a protagonista Jane que fica encantada por uma posição de destaque no filão do entretenimento, sem desconfiar de perversões que a cercam. Na Amazon Prime Video.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE