Obituário

Morre a atriz Marion Ramsey, presente em seis 'Loucademia de Polícia'

Morre a comediante de sucesso Marion Ramsey, que baseou parte do papel de Loucademia de Polícia em imitação de Michael Jackson

Ricardo Daehn
postado em 08/01/2021 10:20
A atriz Marion Ramsey foi dos grandes sucessos da comédia oitentista Loucademia de Polícia -  (crédito: Warner/ Divulgação)
A atriz Marion Ramsey foi dos grandes sucessos da comédia oitentista Loucademia de Polícia - (crédito: Warner/ Divulgação)

Presente nas memórias de qualquer telespectador dos anos de 1980, a atriz Marion Ramsey, uma das personagens mais engraçadas da série Loucademia de Polícia, reprisada à exaustão pelo SBT, morreu
aos 73 anos de causa não revelada. Um dos empresários da atriz, Roger Paul, limitou-se a citar o "apagar da luz entre os que a conheceram", associando a causa a uma doença.

Seis filmes da série cômica de atrapalhadas policiais tornaram Marion popular, na pele da agente Laverne Hooks, sempre calma, mas que, em rompantes, tinha crises de descontrole. A tonalidade baixa da voz, ela admitiu ter extraído da figura de Michael Jackson, personalidade que conheceu nos bastidores da cena cultural.

Antes do sucesso no cinema, porém, foi na Broadway que Marion Ramsey contracenou com lendas como Bette Davis. Tomou parte de peças importantes como Hello, Dolly! Simultaneamente ao despontar com a comédia de sucesso mundial, Marion esteve num telefilme de Jack Hofsess, Segredos de família, que trazia
um elenco feminino reforçado pela presença da veterana Maureen Stapleton.

O papel da policial foi tão forte que perdurou em participações na tevê, caso da série com Seth Green
Robot Chicken (em episódio de 2006). Integrante ocasional do elenco de séries como The Nanny, MacGyver e Barrados no baile, Marion despontou na tevê, em 1976, com a presença em The Jeffersons. Dublou personagem do desenho A família Addams e brilhou em Cos, programa a cargo de Bill Cosby.

Com Steve Guttenberg e Michael Winslow, colegas de Loucademia de Polícia, Marion estrelou Lavalantula (e uma continuação), antes da derradeira participação no mundo das artes, com Quando eu canto (2018), produção independente sobre a vida real da cantora Linda Chorney.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE