FRATURAS

Henri Castelli diz que foi vítima de agressão: "minha boca estava pendurada"

Em lágrimas, ator compartilhou uma série de vídeos sobre sua versão do episódio ocorrido em Maceió, ainda em 30 de dezembro

Ronayre Nunes
postado em 12/01/2021 01:46
 (crédito: Reprodução/Twitter)
(crédito: Reprodução/Twitter)

Nesta segunda-feira (11/1), o ator Henri Castelli foi a público contar sua versão sobre um episódio que ocorreu no dia 30 de dezembro, em Maceió. O homem afirma que foi de vítima de uma agressão “covarde”, e que sofreu graves fraturas no rosto.

Ainda no ano passado, Castelli havia afirmado que uma internação em um hospital da cidade do Nordeste tinha ocorrido por acidente de academia, porém agora o ator trocou a versão da história. Ele explicou que decidiu criar a versão para não assustar a família.

“Vocês devem ter visto que eu dei entrada na Santa Casa de Alagoas no final do ano por ocasião de um acidente na academia. Mas a verdade é que não foi um acidente e não foi na academia. Eu fui agredido covardemente”, contou.

Na versão do ator, a pancadaria foi gratuita: “O que aconteceu foi que eu estava com alguns amigos. Do nada fui puxado pelo pescoço e jogado no chão. Fui agredido, vítima de socos e chutes no rosto que causaram uma fratura exposta na minha mandíbula”.

O protagonista de Flor do Caribe ainda comentou como foram os momentos de tensão na noite da agressão. “Naquele momento foi possível identificar os agressores. Era dia 30 de dezembro. O laudo foi juntado apenas na segunda-feira seguinte ao Ano Novo. Mantivemos a história da academia para eu seguir meus trabalhos. Fui a Fernando de Noronha e retornei dia 7. Naquela noite eu fui pra casa, fiz um novo vídeo para registrar um pré-operatório e só pensava na minha família, nos meus filhos”.

Castelli contou que sofreu uma fratura exposta na mandíbula, e mostrou imagens de raio-x e fotos feitas após a agressão que mostram a ruptura do osso perto do queixo. O Correio optou por não compartilhar outras imagens do ferimento por conta da sensibilidade das fotos.

“Agora, vou precisar de descanso e de acompanhamento clínico. Torcer para que não haja sequela nenhuma. Há muito o que se fazer ainda. Eu perdoo. Não tenho raiva nenhuma e só quero me recuperar e ficar sem sequelas nenhuma", concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE