POP

Irmãs Bailey decolam na música e nas telas sob a bênção de Beyoncé

Duo pop ganha destaque em Hollywood e, em consequência, a atenção de grandes nomes da indústria do entretenimento

Lisa Veit*
postado em 19/01/2021 06:00
 (crédito: Amy Sussman/afp)
(crédito: Amy Sussman/afp)

“Amadrinhadas” por ninguém menos do que a rainha Beyoncé, as irmãs Bailey, Chloe e Halle, consolidam-se cada vez mais como estrelas do Rhythm and blues ou R&B contemporâneo, tanto no cenário musical estadunidense, quanto no internacional. Em 2020, a dupla lançou o segundo álbum de estúdio, Ungodly hour, destaque na crítica com três indicações ao Grammy, que garantiu o nome das moças em diversas outras premiações e nas paradas de sucesso da Billboard. O duo, nascido na Geórgia e estabelecido na Califórnia, foi oficialmente apresentado ao mundo como divas em ascensão por Beyoncé, Queen B (como é chamada pelos fãs), e não é à toa.

Chloe é irmã mais velha de Halle e ambas multiartistas, de 21 e 19 anos, começaram a carreira ainda na infância com participações pequenas em filmes e seriados de tevê. Ora juntas, ora individualmente. Em uma das produções, The fighting temptations (2003), Chloe, curiosamente, chegou a ser a versão mirim de Lilly, personagem protagonizada por Beyoncé no longa. Já o primeiro contato com a Disney ocorreu em 2012, por meio de singles lançados pelo projeto Radio Disney, e participação na série infantojuvenil, Austin & Ally. Em 2011, a partir da criação de um canal de covers no YouTube, o talento inegável para a música e a química entre as vozes culminaram no projeto Chloe x Halle.

Carreira

Em gravações caseiras no violão ou no teclado, as irmãs emprestavam ousadia e alma aos singles de sucesso do pop, por meio de harmonias, riffs e melismas típicos do R&B e do gospel. Atingindo milhares de visualizações, a vida das cantoras mudou quando decidiram publicar um arranjo próprio do single Pretty hurts, lançado por Beyoncé em 2013. O vídeo viral chegou aos ouvidos e olhos de Bey, que em pouco tempo assinaria contrato para gerenciar a carreira das irmãs, por meio da marca
Parkwood Entertainment.

Com a mentoria da madrinha, elas puderam aprimorar ainda mais as habilidades técnicas, a musicalidade, e a imagem artística. Michelle Obama e as filhas estão entre os grandes admiradores da dupla, que apresenta na discografia, além do mais recente trabalho (Ungodly hour), o EP de estreia Sugar symphony (2016); o projeto experimental The two of us (2017); e o que consideram o álbum autoral de estreia The kids are alright (2018).

Em 2020, a Disney anunciou o nome de Halle Bailey como protagonista da produção live-action de A pequena sereia, em que viverá a princesa Ariel. E, no fim de dezembro, o duo anunciou a produção de um minidocumentário sobre a carreira. O público ainda espera o anúncio da data de lançamento.

*Estagiária sob a supervisão de José Carlos Vieira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE