Música

Bárbara Silva lança EP 'Desengavetando quadros'; conheça a brasiliense

O trabalho, com quatro faixas autorais, é a realização de um sonho antigo, que ficou engavetado por alguns anos

Geovana Melo*
postado em 27/01/2021 12:33 / atualizado em 27/01/2021 12:33
 (crédito: Talita Alencar/ divulgação)
(crédito: Talita Alencar/ divulgação)

“Desengavetar quadros significa expor, expor a minha arte. Não fazia mais sentido compor e, simplesmente, guardá-la. Assim como uma pintura de um quadro, daí a analogia”. Sob essa perspectiva, Bárbara Silva, cantora e compositora brasiliense, lançou o EP de estreia da carreira musical intitulado Desengavetando quadros. O trabalho chegou às plataformas digitais na quinta-feira (21/1) e é a realização de um sonho antigo, que ficou engavetado por alguns anos.

Por muito tempo, Bárbara teve que se afastar da música para dar vez a outras jornadas: os três filhos e a carreira no Direito. No entanto, agora essa trajetória ganha mais um pilar: o mercado musical.

Em meio a influências da nova MPB, do pop e do rock, a cantora escolheu quatro canções autorais para se lançar no meio. São elas Sequer ouvir tua voz, Me perder inteiro, Sempre e nunca e Não esconda. “As quatro faixas são importantes para mim. Elas foram compostas em épocas diferentes. Isso é interessante porque traz um pedaço de cada fase da minha vida em casa, uma delas, desde a adolescência até a adulta. Tem sido especial receber mensagens de pessoas que se identificam”, conta Bárbara em entrevista ao Correio.

Não esconda foi composta há 15 anos mas, de alguma forma, ainda representa meus pensamentos. Acho que, em relação à letra, é ela (a minha preferida). Me perder inteiro me deixou mais feliz na execução. Mas a preferida, como compositora, é Sequer ouvir tua voz", completa.

A jovem de 34 anos se apaixonou pela música ainda na infância, morando perto da Colina e tocando violão embaixo do bloco. Ela teve a oportunidade de estudar em escola pública no modelo escola parque, local que valorizava as artes com direcionamento artístico. Bárbara teve aulas de música, de violão, de teclado e de dança durante todo o período escolar, o que despertou o deslumbramento pela arte.

Aos 14 anos, entrou na Escola de Música de Brasília. A experiência trouxe um contato mais profundo com a música. “Eu sempre ouvi um tanto de tudo, muita MPB, rock e pop. Djavan, Marisa Monte, Cassia Eller, Legião Urbana, Beatles, Nelson Gonçalves, Charlie Brown Jr, Lenine, Zeca Baleiro e Joss Stone e Shakira. Sempre um pouco viciada em algum artista”, declara a brasiliense.

Além das faixas de Desengavetando quadros, a compositora se prepara para um lançamento em março deste ano, e ainda tem outras canções que devem ser lançadas em breve.

*Estagiária sob a supervisão de Roberta Pinheiro 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE