Incentivo cultural

Valeu!art possibilita patrocínio da cultura através da pessoa física

Plataforma engloba projetos de música, cinema, esporte e teatro

Prisley Zuse*
postado em 27/04/2021 14:23
Com percentual do imposto de renda, o site mostra como é possível estimular a criação artística no país -  (crédito: Site Valeu!art/ Divulgação)
Com percentual do imposto de renda, o site mostra como é possível estimular a criação artística no país - (crédito: Site Valeu!art/ Divulgação)

O ato de incentivar a cultura ficou mais fácil agora. A plataforma Valeu!art, lançada recentemente, possibilita o patrocínio da cultura através da pessoa física, com a destinação de 6% do Imposto Devido para viabilizar projetos nacionais de música, cinema, esporte e teatro.


O valor destinado retorna como forma de dedução ou restituição no Imposto de Renda. Esse tipo de patrocínio foi adotado há anos nos Estados Unidos e países da Europa, o que gerou bons resultados para a população. Aqui no Brasil, a Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei 8.313/91), possibilita esse repasse desde 1991, porém é pouco divulgado, segundo Ruy Godinho, um dos fundadores da plataforma.


“Nós estamos vivendo em um momento de pandemia e de isolamento social e as artes foram consideradas aliadas para que as pessoas ficassem em casa com as lives artísticas, livros, filmes, entre outros. Porém, o meio artístico está sofrendo no mundo todo, pois foram as primeiras a parar e serão as últimas a voltar. Então a ideia da plataforma é facilitar e informar sobre essa possibilidade”, completou Ruy Godinho.


Os projetos culturais e esportivos disponíveis na Valeu!art (exceto os de crowdfunding) são aprovados pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e/ou pela Lei de Incentivo ao Esporte.


Reco do Bandolim, presidente do Clube do Choro de Brasília, comentou que a plataforma vai ser um incentivo para a cultura brasileira. “Nós, do Clube do Choro, viajamos levando a choro e a história do choro para a Europa, Estados Unidos e outros países. Recebemos a medalha mais importante do Itamaraty, a medalha Rio Branco. Porém todo ano a gente tem que começar do zero, como se ninguém conhecesse o Clube do Choro, então espero que esse tipo de iniciativa seja permanente”.


O valor é destinado ao projeto de preferência do contribuinte e pode ser parcelado em diversas vezes. Atualmente, os projetos disponíveis são: O Complô (cinema), Programação Anual – Brasília 60 Anos de Choro (Música) e Então, foi assim? Compositores mineiros (Literatura).


Para se inscrever, o projeto deve estar aprovado na Lei Federal de Incentivo à Cultura, para depois cadastrar na plataforma Valeu!art. Para acessar o site, acesse o link

 * Estagiária sob a supervisão de Ricardo Daehn



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE