Lançamento

Lagum lança música ‘Eu e minhas paranoias’: single menciona ansiedade

O segundo single lançado pela banda este ano aposta na abordagem da ansiedade no ritmo do rock

Fernanda Gouveia*
postado em 30/04/2021 16:20 / atualizado em 30/04/2021 16:23
Banda Lagum na gravação do clipe 'Eu e minhas paranoias' -  (crédito: Sarah Leal)
Banda Lagum na gravação do clipe 'Eu e minhas paranoias' - (crédito: Sarah Leal)

A banda Lagum lançou na noite desta quinta-feira (29/4) a nova música Eu e minhas paranoias em todas as plataformas digitais, além do clipe no canal do YouTube. A canção aborda a ansiedade desde quando começou a ser composta, em janeiro de 2018. “É uma coisa que eu comecei a ter bastante, depois que a minha carreira como artista começou; acho que por não poder errar, sabe? Por parecer que a gente tem que estar sempre certo, bonito, lindo e sorrindo”, explica Pedro Calais, vocalista e compositor da Lagum em entrevista ao Correio.


O cantor relata que a música ganhou um novo aspecto quando os integrantes da banda decidiram se isolar durante um período da quarentena no sítio do Tio Wilson, ex-baterista da Lagum que morreu em setembro de 2020 após uma parada cardiorrespiratória. “A música surgiu com novos versos, mas mantendo o refrão, e com esse desfecho ‘eu e minhas paranoias’. Depois a gente gravou ela num ensaio, todo mundo tocando ao mesmo tempo e o Tio tocando a ‘batera’ separado. Após a partida dele, a gente pegou algumas coisas que a gente tinha ensaiado com o Tio, aproveitamos e construímos uma música toda em cima daquilo que ele tinha feito. Então, essa música é maluca, porque ela não era para ter entrado, a gente não produziu com o Tio, mas é uma das últimas ‘bateras’ dele”, conta Pedro.


Além da canção representar o sentimento do vocalista, Pedro Calais avalia que se encaixa com o contexto atual, pois “tá todo mundo paranoico. Eu fico recebendo mensagens de pessoas perguntando ‘cara, como você faz para ser tão leve? Como você faz para ter uma vida assim?’ Isso passou a me incomodar de um tempo para cá, porque as pessoas ficam olhando a internet achando que tá todo mundo bem. Essa música vem nesse momento para dizer ‘cara, relaxa, tá todo mundo ferrado’. É isso, todo mundo tá fingindo que tá bem”, pontua o cantor.


Produção Visual


O clipe de Eu e minhas paranoias apresenta cenas de pessoas diversas interagindo e a banda Lagum tocando em um cenário neutro que, à medida em que a música se desenvolve, é tomado por objetos, como tevês, caixas e jornais, e no final são quebrados pelos integrantes. “Foi com o intuito de mostrar que todo mundo tem paranoia, todo mundo tá tentando se libertar disso e foi legal porque foi muito cru, foi muito verdade. Eu me identifico muito com essa música e eu acho que o clipe soube andar junto com esse conceito da canção também”, comenta Pedro Calais.


Além do videoclipe, a banda Lagum costuma investir em criações, como capas para os lançamentos, com o objetivo de chamar atenção por meio da estética visual. “Sinto que a Lagum deu uma disparada quando a gente começou a se preocupar com a estética. Isso foi muito importante para o nosso crescimento e, até hoje, eu entendo que isso é essencial para a gente se estabelecer”, explica o cantor, e complementa ao dizer que é uma forma de “dissipar a energia criativa”, pois a criação continua além das músicas, com as capas e os clipes. Assista ao videoclipe de Eu e minhas paranoias.


Referências ao Tio


Assim como no último clipe lançado pela Lagum, Musa do inverno, o novo trabalho apresenta referências ao Tio Wilson, como a cena em que é possível ver a tatuagem que Pedro Calais fez em homenagem ao baterista. O cantor afirma que a banda não sabe ao certo como será o futuro sem a presença de Tio Wilson, mas ele sempre será honrado pela história que fez na Lagum. “Quando eu era pequeno, meu pai faleceu e eu cresci reverenciando ele, usando roupas dele e buscando dados sobre a sua história. Sinto que eu quero fazer a mesma coisa com o Tio, eu quero que a imagem dele esteja atrelada a nós porque além de ter a força do Tio presente, eu quero que o filho dele veja isso e perceba que o pai dele esteve ali e conheça o trabalho dele”, comenta o vocalista, emocionado.


Pedro Calais revela que a banda vai lançar outros singles antes do álbum para destacar cada trabalho. “A gente tá lançando as coisas para conseguir dar importância para tudo e, quando for o momento de fazer show, a gente vai tá com esse álbum aí na agulha para soltar e já fazer uma turnê”, afirma. Além disso, o vocalista identifica que a nova fase da Lagum se trata de trabalhos com mais experimentação do que o último álbum Coisas da geração. “Estamos muito felizes de experimentar e fazer algo mais cru e com muita bagagem que conquistamos durante esse tempo todo de mercado”, diz Pedro.

* Estagiária sob a supervisão de Ricardo Daehn

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE