CARREIRA

Músico Jean Tassy lança o álbum Amanhã, com mistura de gêneros e estilos

Disco é gestado desde 2018 e traz combinação de gêneros como pop, neo soul, R&B, MPB, bem como hip-hop. Artista vê no lançamento oportunidade de manter proximidade com o público

Isabela Berrogain*
postado em 01/05/2021 06:00
Jean Tassy: muito além do rap e do hip-hop -  (crédito: Mariana Bernardes/Divulgação)
Jean Tassy: muito além do rap e do hip-hop - (crédito: Mariana Bernardes/Divulgação)

Apesar de se destacar na cena musical brasiliense desde 2015, Jean Tassy acaba de lançar Amanhã, seu primeiro disco. Com produção de Iuri Rio Branco, o músico, que antes se dedicava ao rap, hoje se expande em diversos gêneros musicais, como pop, neo soul, R&B, MPB e hip-hop.

“Era uma coisa que o Iuri me falava bastante, que precisava sair da minha zona de conforto, fazer um disco muito mais rico, em vez de continuar fazendo a trilha que seguia há anos. Ele me deu essa visão de montar o disco mais conceitual musicalmente”, explica Tassy em entrevista ao Correio. “Na minha opinião, esse álbum foi o projeto mais importante que fiz até agora”, pontua.

O álbum vem sendo idealizado desde 2018, quando o artista começou a sequência de EP’s Anteontem, Ontem e Hoje. “Eu preparei esse disco criando três EP’s anteriormente, para o foco principal ser o álbum”, esclarece. A ideia inicial da sucessão de projetos era que cada um fosse trabalhado por um produtor diferente. Entretanto, durante a criação de Ontem, a parceria entre Tassy e Iuri deu tão certo que o produtor se manteve nos próximos trabalhos.

“Ele entrou e deu outra cara, começou a musicalizar muito mais o meu trabalho. Tanto é que o EP Ontem teve uma consistência muito mais musical do que com o pé no rap, como eu tinha nos outros trabalhos”, analisa o artista. “Ele (Iuri) é realmente uma parte muito importante da minha carreira”, reconhece.

Com o isolamento social, Tassy viu, no disco, a oportunidade de manter a proximidade com o público. “Independentemente de não haver esse contato presencial com o público, isso não significa que a gente deva parar de lançar (novos trabalhos). Eu acho que, mesmo que a gente esteja distante, só de alguma pessoa ouvir meu disco ali, no fone de ouvido, fico um pouco mais perto dela, e isso acaba nos reaproximando”, argumenta.

Animado com o novo álbum, o cantor vê Amanhã como o início de uma extensa carreira na música. “Esse disco vai ser minha porta para apresentar um lado que eu não mostrava antes. O lançamento me deixou muito animado para fazer mais coisas no futuro. Eu quero fazer vários discos agora”, finaliza.

*Estagiária sob a supervisão de José Carlos Vieira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE