ARTE POPULAR

Festival Seu Estrelo celebra os 17 anos do grupo popular

Com o tema 'Como ver o mundo', o festival apresenta pensadores e artistas populares em programação on-line e gratuita

» Lisa Veit*
postado em 09/06/2021 06:00
Camila de Oliveira e Tico Magalhães: a cultura popular candanga e suas matrizes -  (crédito: Webert da Cruz/Divulgação)
Camila de Oliveira e Tico Magalhães: a cultura popular candanga e suas matrizes - (crédito: Webert da Cruz/Divulgação)

O Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro completa 17 anos de contribuições para a cultura popular cerratense. Para celebrar o novo ciclo, que chega com um olhar ainda mais voltado à reflexão, o grupo apresenta um festival para comover e oferecer perspectivas diversificadas sobre o mundo atual. A programação, on-line e gratuita, ocorre de 10 a 13 de junho e contará com intervenções artísticas, prosas virtuais e apresentações musicais. O público pode conferir amanhã, às 19h, a estreia do Festival Seu Estrelo — Como ver o mundo, por meio do canal oficial do grupo no YouTube. Confira a programação completa.

Com curadoria do multiartista Tico Magalhães e da brincante Maria Isabela Aquino, os festejos deste ano contam com recente parceria do coletivo No Setor, e a de longa data do Instituto Rosa dos Ventos. A presidente do instituto, Stéffanie Oliveira, explica que o evento, apesar de migrar para o ambiente virtual, mantém proposta tradicional do grupo homenageado, “ocupar e transformar a cidade por meio da brincadeira, da encantaria, da natureza e da poesia”.

De acordo com ela, “o Festival Como Ver o Mundo busca encantar a cidade trazendo debates e trocas com artistas e convidados ligados ao Seu Estrelo e a Brasília. As prosas virtuais convidam o público a pensar e debater sobre o momento histórico que estamos vivendo e suas consequências a curto e longo prazo para a nossa cidade, o país e o planeta”, explica a gestora, também responsável pela programação do Circuito Candango de Culturas Populares do qual o evento faz parte.

Já o No setor, que visa à ressignificação e ocupação cultural dos espaços públicos da cidade, colaborou como anfitrião de 13 intervenções artísticas de diferentes áreas, como teatro, circo, dança, poesia e música, gravadas no Setor Comercial Sul para compor a programação. “Este é o encontro de um grupo da cultura popular, que é referência na cidade, por beber de várias mitologias, folclores e misticismos, com um outro grupo que também bebe disso tudo, mas ainda de forma embrionária. O Seu Estrelo é uma entidade para nós e uma mitologia a ser cultivada”, explica Ian Viana, presidente do No Setor.

Sobre a contribuição para a proposta do festival, Viana completa que “o próprio No Setor trabalha com o conceito de cidade sentimental, que se relaciona muito com o tema central do projeto Como Ver a cidade. É a perspectiva de transformar a cidade em algo vivo. Isso se faz ocupando os espaços públicos, escutando e ajudando os invisibilizados, disputando a rua, que é um espaço político em si”, destaca.

Da relação entre arte e cidade, entende bem o interventor urbano e ilustrador brasiliense Pedro Sangeon, criador do personagem Gurulino. Ele é um dos convidados do festival e contribui por meio da conexão da arte contemplativa e humorada com o cotidiano de Brasília. “Faz tempo que queria uma parceria com Seu Estrelo, sou muito fã e admiro bastante o trabalho. Então, fiquei muito feliz com o convite. A resistência desse grupo é um oásis nos tempos atuais”, comemora o artista.

Conhecimento

Desde a origem, em 2004, o grupo Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro tem aprofundado e perpetuado o conhecimento popular, por meio da música, da dança, das artes cênicas e da literatura. Ele é reconhecido, principalmente, por trazer identidade própria às tradições e expressões culturais do Distrito Federal e do cerrado. Em novo ciclo, o grupo simboliza a importância de seguir em frente. “É um comemorar de profunda resistência. De estar vivo, brincando; de estar vivo junto ao grupo, mesmo sem a possibilidade de estar fisicamente”, explica Tico Magalhães.

Programação

Ao todo, quatro episódios serão lançados entre os dias 10 e 13, sempre às 19h, no canal Seu Estrelo, no YouTube. São eles:

A cidade sentimental (10/6)
Com intervenções de Letícia Coralina, o palhaço Mandioca Frita e Tassiana Rodrigues; com Prosa Virtual entre Siba Veloso e Ellen Oléria, com mediação de Ian Viana; a apresentação musical fica por conta do grupo Chinelo de Couro.

A cidade encantada (11/6)
Conta com intervenções artísticas de Bruna Luiza e Bento; de Rafael Pops; e do curta-metragem Tantra; a Prosa virtual terá a presença de Luiz Antônio Simas, e o capitão do Seu Estrelo, Tico Magalhães, com mediação de Stéffanie Oliveira; e a apresentação musical fica por conta do Tambor de Crioula
de Seu Teodoro

A natureza da cidade (12/6)
Exibe intervenções de Gurulino; Iaiá Magalhães; e Marcelo Nenevê; o quadro Prosa Virtual recebe Ailton Krenak e Bené Fonteles, sob mediação de Tico Magalhães; e encerra com apresentação do tradicional Bumba Maria Meu Boi e do aniversariante Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro.

A cidade de brinquedo (13/6)
Transmite intervenções de Isadora Lima; Tainá Martins; e Orquestra Alada Trovão da Mata; da Prosa Virtual, participam Helder Vasconcelos e Tico Magalhães, sob mediação de Isabella de Meneses; o encerramento fica por conta da apresentação musical de Alessandra Leão.

 

* Estagiária sob a supervisão de José Carlos Vieira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE