ARTES PLÁSTICAS

A Parede de Casa e Espaço + Flor: novos endereços para as artes

Taguatinga e Asa Norte ganham reforços de galerias de arte, para exposições on-line ou presenciais

» Naum Giló*
postado em 11/06/2021 06:00
A Parede de casa, na Asa Norte, trabalha com novos artistas -  (crédito: Rhayra Costa/Divulgação)
A Parede de casa, na Asa Norte, trabalha com novos artistas - (crédito: Rhayra Costa/Divulgação)

Não existe setor da economia que não tenha sido afetado pelas medidas de restrições sanitárias durante o período de pandemia. Com o mercado da arte não poderia ser diferente. A diminuição da circulação de pessoas afetou o trabalho das galerias de arte, que tiveram que se reinventar para poder atravessar o período. Mas também houve quem teve a ideia de inaugurar um novo espaço de exposições em plena pandemia, investindo no formato on-line ou exibindo obras em espaços que respeitam os protocolos de segurança.

Inaugurada durante a pandemia, a galeria Parede de casa, localizada na Asa Norte, é o primeiro trabalho de curadoria em artes visuais do casal Rhayra Costa e Luiz Reis, que trabalhavam no mercado da arte antes do início da crise ocasionada pelo novo coronavírus, que impactou a renda de ambos. Uma saída arranjada pelos dois foi transformar o lugar onde moram em uma galeria, levando obras de arte para as paredes da própria casa, de onde esperam os compradores.

“Nossa intenção é trabalhar com preços mais acessíveis. E, na pandemia, foi uma solução criativa que encontramos”, explica Rhayra. Todas as exposições, desde a abertura da galeria em outubro de 2020, são on-line, e exibem obras de artistas apenas do Distrito Federal. A ideia também é trabalhar com preços mais acessíveis do que geralmente são encontrados em outros estabelecimentos da mesma natureza. A Parede de casa está na sua sétima exposição.
Rhayra é servidora pública, historiadora e produtora cultural, e Luiz é artista visual, poeta, doutor em literatura e editor na editora Nautilus.

Ele também é professor do ensino superior no Centro Universitário Iesb, em Ceilândia, e interage há anos com artistas mais jovens do DF. “Vimos que não existia um espaço para essa nova cena nas galerias tradicionais, que preferem trabalhar com nomes conhecidos, e resolvemos nos atirar nesse projeto e proporcionar esse espaço para eles”, conta Rhayra. As peças podem ser conferidas e adquiridas por contato pelo Instagram, no perfil @parededecasa.

Espaço + Flor 

A Galeria Santos, no Espaço + Flor, tem um espaço  multicultural em Taguatinga
A Galeria Santos, no Espaço + Flor, tem um espaço multicultural em Taguatinga (foto: Jorge Fernandes/Divulgação)

Localizado na Praça do Bicalho, em Taguatinga Norte, o Espaço multicultural + Flor abriga a Galeria Santos, que também passou a existir em meio à crise da pandemia. Inaugurada em fevereiro deste ano, a galeria está na sua quarta exposição, dando espaço para artistas que têm pouco acesso a outros lugares para expor os seus trabalhos.

Embora a Santos tenha a agenda cheia desde a sua abertura, Jorge Torres Fernandes, artista visual e dono do espaço +Flor, destaca que “é desafiador abrir e comandar um espaço cultural, porque não há apoio do governo e nem do público, que não tem o costume de comprar arte. Ainda falta essa cultura, mas estamos insistindo”.

O espaço + Flor trabalha também com venda e aluguel de objetos de decoração e mobiliário, além de montar cenários para teatro, cinema, tevê e eventos. O local também reúne a casa Viva José Ribamar, o gastro cine e a coquetelaria Transluxo. Todas as restrições sanitárias são respeitadas no estabelecimento.

*Estagiário sob a supervisão de José Carlos Vieira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE