Internet

Em 'Sudestino', Porta dos Fundos brinca com os sotaques brasileiros

Vídeo 'Sudestino' faz piada com sotaques brasileiros, mas não deixa a verve política que consagrou o Porta dos Fundos de fora

Vinicius Nader
postado em 20/07/2021 08:40
 (crédito: Instagram @portadosfundos / Reprodução)
(crédito: Instagram @portadosfundos / Reprodução)

O novo vídeo da turma do Porta dos Fundos, Sudestino, brinca com a variedade de sotaques e culturas do Brasil. A esquete tem chamado a atenção do público na internet pelo humor, claro, mas também pela crítica política, uma das marcas do trabalho do grupo.

Em uma videoconferência, o paulista Bruno (Gregório Duvivier) e a recifense Júlia (Ademara) se conhecem porque ele se muda para Recife e começa a trabalhar na mesma empresa do que ela. Logo, Júlia percebe que Bruno não é do Nordeste, ou seja, ele é sudestino. "Desceu do Espírito Santo é tudo sudestino, um bando de gente branca comendo pinhão", define a moça.

O festival de desencontros culturais garante a piada. Não adianta Bruno dizer que é de São Paulo. Júlia pergunta se ele está comendo pão de queijo com chimarrão, se fala "trem bão", se ele conhece um carioca com quem ela ficou uma vez.

Com a entrada de Marcos (João Pimenta) na reunião, o papo fica um pouco mais sério. Júlia diz que acha fofo "esse ar de superioridade que se acha o centro do mundo" que os sudestinos têm. Basta para tirar Bruno do sério e trazer a primeira reflexão do vídeo: "Vocês falam como se toda pessoa fosse igual no Sudeste. O Sudeste tem várias pessoas diferentes, pelo amor de Deus." Será que fora do vídeo não acontece o contrário?

Para piorar, Marcos, também de Recife, fala que adora a cultura sudestina, de comer tutu de salmão, pizza de picanha e ainda faz uma piada infame com a tradição do cuscuz paulista.

A segunda reflexão vem logo em seguida e finaliza o vídeo, quando Júlia aponta que os sudestinos têm apenas um defeito: não sabem votar. "Tem uma coisa com miliciano que eu nunca vi gostar tanto. É por causa de vocês que o Brasil não vai para frente."

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE