Prêmio

Ruy Castro ganha o Prêmio Machado de Assis, da ABL, pelo conjunto da obra

O jornalista e escritor Ruy Castro ganhou o Prêmio Machado de Assis 2021 pelo conjunto da obra, ele foi escolhido pelos imortais da Academia Brasileira de Letras

Agência Estado
postado em 29/10/2021 15:37
 (crédito: Companhia das Letras/Divulgacao)
(crédito: Companhia das Letras/Divulgacao)

O jornalista e escritor Ruy Castro ganhou o Prêmio Machado de Assis 2021 pelo conjunto da obra. Ele foi escolhido pelos imortais da Academia Brasileira de Letras nesta quinta-feira, 28, e vai ganhar R$ 300 mil.

Biógrafo premiado e profundo conhecedor da história da música brasileira, Ruy Castro é autor de livros como Chega de Saudade: A História e as Histórias da Bossa Nova, O Anjo Pornográfico: A Vida de Nelson Rodrigues, A Onda que se Ergueu no Mar, Estrela Solitária - Um Brasileiro Chamado Garrincha, Carmen - Uma Biografia, A Noite do Meu Bem - A História e as Histórias do Samba-Canção, e Metrópole à Beira-Mar - O Rio Moderno dos Anos 2, entre outras obras.

"Ruy Castro é um escritor de alta qualidade literária, biógrafo consolidado que permitiu o redesenho de grandes figuras de nossa história e de nossa literatura. Um escritor de múltiplas facetas, forte sensibilidade, marcado por um sentimento lírico que não abandona jamais a dimensão crítica", disse o presidente da ABL Marco Lucchesi em comunicado.

Ruy Castro nasceu em Caratinga (MG), em 1948. Começou como repórter em 1967, no Correio da Manhã, do Rio, e passou por todos os grandes veículos da imprensa carioca e paulistana - ele é, hoje, colunista da Folha de S.Paulo.

Criado pela ABL em 1941, o Prêmio Machado de Assis é entregue a autores que se destacam pelo conjunto de sua obra. Suspenso desde 2017 por questões econômicas, ele foi retomado este ano com o patrocínio da Light. Entre os vencedores mais recentes do maior prêmio da Academia Brasileira de Letras estão o escritor e cronista do Estadão Ignácio de Loyola Brandão (2016), o historiador João José Reis (2017) e o escritor Rubem Fonseca (2015).

CONTINUE LENDO SOBRE