Polêmica

Vereadores de Santa Catarina pedem Netflix para remover Round 6 do catálogo

Segundo um documento aprovado na Câmara de Içara no último dia 20, o conteúdo pode trazer impacto para a saúde mental das crianças e adolescentes

Natasha Werneck - Estado de Minas
postado em 30/10/2021 13:33
 (crédito:  Divulgação)
(crédito: Divulgação)

Os vereadores de Içara, em Santa Catarina, aprovaram o envio de uma solicitação para a Netflix pedindo a retirada da série sul-coreana 'Round 6' do catálogo disponível para clientes no município. Apesar da série ter indicação etária de 16 anos, o documento alega que este tipo de conteúdo violento pode trazer impacto para a saúde mental das crianças e adolescentes.

A proposta do vereador Edson Freitas (MDB) foi aprovada em votação na Câmara e enviada para a Netflix em 20 de outubro, mas ainda não há resposta da plataforma de streaming. “O conteúdo da série contém violência explícita, tortura psicológica, suicídio, tráfico de órgãos e cenas de sexo, utiliza-se de brincadeiras simples de criança como: 'Batatinha frita 1,2,3', 'Cabo de guerra', 'Bolas de gude' para assassinar a 'sangue frio' as pessoas que não atingem o objetivo final”, alega o documento.

“Há preocupação com esse tipo de série violenta que mistura brincadeira de crianças com crimes bárbaros. Além da facilidade com que as crianças acessam esse material, existe o impacto que este pode ter sobre a saúde mental de crianças e adolescentes, especialmente daqueles que já se encontram, por algum motivo, fragilizados.”

A trama se tornou o mais recente fenômeno global criado na Coreia do Sul. A atração se tornou a série mais assistida da plataforma durante os primeiros 28 dias de exibição, com 111 milhões de acessos, desbancando “Bridgerton”, que estreou no início deste ano e foi vista por 82 milhões de contas no mesmo período.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE