Cinema

Animação brasileira cria campanha de financiamento para chegar ao Oscar

'Bob Cuspe — nós não gostamos de gente' está na lista dos possíveis concorrentes ao Oscar e precisa captar verba para divulgar a obra

Correio Braziliense
postado em 21/12/2021 12:34
 (crédito: Divulgação)
(crédito: Divulgação)

A animação brasileira Bob Cuspe — nós não gostamos de gente criou uma campanha de financiamento coletivo para chegar ao Oscar de 2022. O longa, que já aparece na lista dos possíveis indicados a melhor animação, precisa levantar fundos para aumentar a divulgação nos Estados Unidos. As colaborações podem ser feitas via plataforma Catarse.

O personagem Bob Cuspe, um punk anárquico, é fruto da imaginação do grande cartunista e chargista brasileiro Angeli. Com primeira aparição nos anos 1980, o personagem volta para o longa em uma versão mais velha. Ao se ver perdido em um deserto pós-apocalíptico, Bob percebe que está, na verdade, dentro da mente de Angeli, que está vivendo uma crise criativa. A animação foi criada com a técnica stop motion.

Intitulada “leve um punk ao Oscar”, a campanha de financiamento coletivo, criada pela Coala Filmes, produtora do longa, visa captar recursos para divulgar o filme e chamar a atenção dos votantes ao Oscar para que assistam a obra. Com a tradição do Oscar em premiar animações feitas por grandes estúdios que têm capacidade de investimento massivo em divulgação, o filme independente precisa de verba para concorrer de forma competitiva. O governo federal costumava ter um fundo para ajudar filmes brasileiros qualificados à premiação, mas a iniciativa foi cortada.

Os apoiadores do projeto recebem recompensas temáticas como pôsteres, camisetas e entradas para assistir ao filme nos cinemas, de acordo com o valor doado. A campanha está aberta até o dia 10 de janeiro de 2022.

Confira o trailer da animação: 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE