Música

Elvis não morreu

*Isabela Berrogain
postado em 13/05/2022 00:01
 (crédito: Alison Povey/Objetiva comunicação)
(crédito: Alison Povey/Objetiva comunicação)

"Coisas boas nunca morrem." É assim que o britânico Ben Portsmouth, maior artista-tributo ao cantor Elvis Presley, define o contínuo sucesso do Rei do Rock. Após mais de 40 anos da morte de Elvis, Portsmouth mostra que a lenda da música continua viva no coração dos fãs com o espetáculo inédito The king is back, assistido por mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo. Em oitava passagem pelo Brasil, o artista inglês realiza performance única hoje no Centro de convenções Ulysses Guimarães, a partir das 22h.

"O meu objetivo é sempre fazer uma apresentação verdadeira e respeitosa do Elvis", afirma Ben Portsmouth em entrevista ao Correio. No show, o artista veste diversos figurinos inspirados nos lendários macacões usados por Elvis ao longo da carreira, além de recriar, com perfeição, os penteados e movimentos de dança do Rei do Rock. "Eu tenho uma verdadeira paixão pelo Elvis e espero que isso transpareça nos palcos e na minha apresentação", complementa.

Durante a performance, Portsmouth representa as grandes fases da carreira de Elvis, desde o fim da década de 1950. "No show, eu canto muitos sucessos do Elvis, então é muito difícil escolher um momento preferido", admite o artista. "No entanto, eu gosto muito do Elvis dos anos 1970, da era de Vegas", confessa. No repertório, os espectadores podem esperar grandes faixas, como My way, Jailhouse rock, Love me tender e Surrender.

Assim como nos shows de Elvis, o entrosamento com a plateia é um ponto forte das apresentações de Portsmouth. "A interação com o público é uma grande parte do show. É muito importante, especialmente porque meu português é limitado, então essa interação instantaneamente quebra o gelo", explica. Sendo fiel às performances do Rei do Rock, o artista britânico também distribui lenços durante o espetáculo.

Em The king is back, Ben Portsmouth consegue realizar, por algumas horas, o sonho de muitos amantes da música: reviver o Rei do Rock. "Minha parte preferida das apresentações é que eu posso ser Elvis nos palcos, o que é muito divertido. Eu posso cantar essas músicas incríveis e performar como ele. É um sentimento incrível", comemora o inglês. "Espero que eu traga algo que o público nunca viu antes", finaliza.

Estagiária sob a supervisão de Severino Francisco.


The king is back

Centro de convenções Ulysses Guimarães. 13 de maio, às 22h. Tributo ao cantor Elvis Presley com Ben Portsmouth. Preço: R$ 120 (meia) a R$ 160 (meia). Classificação indicativa: 14 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE