Martha Seillier destaca que Brasil tem oportunidades de investimento na área de energia

A fala foi dita em conferência online no Fórum Mundial do Meio Ambiente

Vera Batista
postado em 12/08/2020 14:49
 (foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
(foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Em conferência online no Fórum Mundial do Meio Ambiente, Martha Seillier, secretária especial do Programa de Parcerias e Investimento (PPI), agora cotada para ocupar a Secretaria Especial de Desestatização após a saída de Salim Mattar, destacou que o Brasil tem inúmeras oportunidades de investimento na área de energia e de infraestrutura e que já aplicou grande volume de recursos no setor, desde 2019. O principal ativo, segundo ela, será a venda do controle acionário da Eletrobras – que seu antecessor não conseguiu avançar -, “uma companhia muito importante”, reforçou.

O momento, segundo ela, é especial e, de certa forma único, já que “governo e Congresso estão dialogando”. “Somos parceiros naturais (para o mundo) em infraestrutura”, destacou. As privatizações de portos, aeroportos, ferrovias e rodovias foram apontadas como oportunidades relevantes de negócios aos investidores globais. “O Executivo está focado em reduzir gastos”, lembrou. Martha salientou que o nosso país, como todos os demais, foi surpreendido pela pandemia do coronavírus, quando foi preciso avançar no saneamento básico e encontrar formas de socorrer a população.

A secretária assinalou ainda que, apesar das “impressões negativas” que possam estar recaindo sobre o Brasil na área de meio ambiente, o país não está “descuidando do assunto”. Por fim, salientou que o maior desafio no modelo de PPI é “tornar o governo mais atuante na área de infraestrutura”, dentro das determinações do marco legal. O marco legal do saneamento foi sancionado em 16 de julho pelo presidente Jair Bolsonaro, com a meta ambiciosa de garantir acesso à água para 99% da população brasileira à coleta e tratamento de esgoto para 90%, reduzindo os despejos in natura em bacias e mares.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação