AÉREAS

Sem sinais sobre pagamento, Gol fica mais próxima de calote

Mercado observa com apreensão movimento da Gol, que tem até esta segunda-feira (31/8) para quitar US$ 300 milhões com a Delta Airlines

Agência Estado
postado em 29/08/2020 17:15 / atualizado em 29/08/2020 17:36
 (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press - 22/1/18)
(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press - 22/1/18)
A companhia aérea Gol ainda não informou como pretende proceder diante do vencimento de US$ 300 milhões relativo à dívida garantida pela Delta Airlines com vencimento na segunda-feira (31/8). A companhia vinha tentando negociar esse compromisso, mas até o momento não fez qualquer comunicado. Procurada, a empresa preferiu não comentar.
Diante da proximidade do vencimento e da ausência de um acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de um caixa apertado, a Gol teve sua classificação de risco de crédito rebaixada para CCC, ou seja, as agências de rating Fitch e S&P enxergam grande risco. Se não cumprir com o vencimento, entra em situação de calote.
O presidente da companhia, Paulo Kakinoff tem afirmado que negocia esse passivo, assim como outros. A empresa encerrou com uma liquidez de R$ 3,3 bilhões no segundo trimestre deste ano, queda de 9,8% na comparação anual. A aérea espera fechar o terceiro trimestre deste ano com uma liquidez de R$ 2,9 bilhões. O valor já considera a amortização com a Delta. A pandemia fez a aérea reduzir de 800 para 50 o número de decolagens por dia em abril, ápice da crise.
A Gol reportou prejuízo líquido antes da participação minoritária de R$ 1,997 bilhão no segundo trimestre de 2020. O valor representa uma ampliação significativa do resultado negativo de igual trimestre do ano anterior, de R$ 120,8 milhões.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação