Falso Samaritano

PF deflagra operação para combater fraudes no auxílio emergencial

Corporação identificou criminoso que usava dados pessoais das vítimas para receber benefício pago pelo governo federal

Renato Souza
postado em 02/09/2020 09:02 / atualizado em 02/09/2020 09:27
 (foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
(foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quarta-feira (2/9), a operação Falso Samaritano, que tem como objetivo combater fraudes no auxílio emergencial, pago pelo governo durante a pandemia da covid-19. As diligências apontaram que um homem utilizava dados pessoais de cidadãos para se cadastrar nos aplicativos da Caixa Econômica Federal e receber os recursos.

De acordo com a PF, ele também ameaçou divulgar dados pessoais do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, quando ele afirmou que intensificaria a fiscalização para evitar este tipo de prática. Um mandado de prisão foi expedido pela 2ª Vara Federal Cível e Criminal de Varginha-MG.

Informações levantadas pela reportagem do Correio apontam que outros eventuais fraudadores estão sendo investigados e que diversos registros de roubo do auxílio emergencial estão ocorrendo em todo o país.

Os criminosos agem com os dados das vítimas, acessam o aplicativo Caixa Tem no dia do pagamento feito pela governo e pagam um boleto bancário — fazendo com que o dinheiro saia da conta virtual do beneficiário e vá parar nas mãos dos delinquentes.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação