Em assembleia, Oi propõe mais ajustes e leilão em dois turnos

No novo plano de recuperação judicial, operadora estima fim do processo em 2022 e inclui a proposta de oferta vinculante das concorrentes pelas operações móveis da empresa, como divulgado em fato relevante na véspera

Simone Kafruni
postado em 08/09/2020 16:58
 (foto: Nacho Doce/Reuters - 11/4/14)
(foto: Nacho Doce/Reuters - 11/4/14)

Durante a Assembleia Geral de Credores (AGC) da operadora Oi, que está sendo realizada nesta terça-feira (8/9), de forma virtual, desde às 11h, a companhia apresentou mais ajustes à proposta de aditamento do Plano de Recuperação Judicial (PRJ). A empresa incluiu a proposta vinculante de Claro, TIM e Vivo pela operação móvel da Oi, como “stalking horse” (cavalo perseguidor, na sigla em inglês), com direito de cobrir outras ofertas, o que foi divulgado em fato relevante pela empresa na noite anterior.

A companhia também propôs leilão reverso em dois turnos, visando a desalavancagem de curto prazo, sendo a primeira etapa para credores de títulos com maturidade em até 24 meses da data do leilão. O segundo turno seria destinado a credores com títulos com maturidade após 24 meses da data do leilão. Por conta das novidades, as negociações se estenderam e a transmissão da AGC só deve retornar após às 17h.

Oferta vinculante

Sobre a oferta vinculante do consórcio formado pelas três principais concorrentes da Oi, a mudança foi nas condições da venda. O preço mínimo passou a R$ 16,5 bilhões, sendo R$ 15,7 bilhões acrescidos de R$ 819 milhões de contratos de capacidade de transmissão na modalidade, com a InfraCo (empresa criada para unidade de fibra ótica da Oi). O valor inclui R$ 756 milhões “por serviços a serem prestados no período de transição por até 12 meses pelo Grupo Oi às ofertantes”, que foi proposto pelo consórcio.

Entre os ajustes para operações ponte e captação de recursos foram apresentados a possibilidade de antecipação parcial dos recursos da venda da operação móvel, no valor de até R$ 5 bilhões, outros financiamento de R$ 2 bilhões (com flexibilidade para garantia) e R$ 2 bilhões (sem flexibilidade de garantias adicionais). Para a InfraCo, a Oi incluiu possibilidade de alavancagem adicional garantida pelas ações da unidade de fibra.

Cronograma

No cronograma apresentado, o processo competitivo pelas unidades de torres e data centers será realizado em outubro ou novembro de 2020, sendo a alienação dos ativos em dezembro de 2020. No primeiro trimestre de 2021, está marcado o processo competitivo de parte da InfraCo e da operação de TV.

A alienação da InfraCo foi prevista para terceiro trimestre de 2021 e dos ativos móveis e da TV, para o quarto trimestre do ano que vem. A proposta estimou a RJ encerrada em 30 de maio de 2022, sendo que a data poderá ser prorrogada “por motivo de força maior identificado e aprovado pelo juízo”.

A transmissão da AGC deve reiniciar às 17h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação