Assembleia

Bancos pedem adiamento por 30 dias, mas administrador posterga por 1 hora

Banco do Brasil, Itaú e Caixa tentam suspender assembleia geral de credores, mas reunião virtual é apenas paralisada momentaneamente para negociação sobre Plano de Recuperação Judicial

Simone Kafruni
postado em 08/09/2020 17:53
 (foto: Paulo Silva Pinto/CB/D.A Press - 9/11/17)
(foto: Paulo Silva Pinto/CB/D.A Press - 9/11/17)

A Assembleia Geral de Credores (AGC) da Oi, que pretende votar o Plano de Recuperação Judicial (PRJ) com novos ajustes apresentados pela companhia foi novamente paralisada. Depois de um período de negociações, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Itaú pediram um adiamento por 30 dias. No entanto, o presidente da Oi, Rodrigo de Abreu, ressaltou a necessidade de celeridade para cumprir os passos do plano e não aceitou o pedido.

O administrador judicial da RJ, Arnoldo Wald, também não quis ferir as decisões judiciais, que indeferiram os vários pedidos de adiamento, e apenas suspendeu a AGC por mais hora, com retorno previsto às 18h30 desta terça-feira (8/9). Ao ser indagado sobre aceitar ou não o pedido de adiamento dos bancos, Abreu disse que não seria factível do ponto vista prático. “Caso aconteça (o adiamento), inviabilizaria o plano da companhia, mas a decisão vem do administrador”, afirmou.

No entanto, Abreu aproveitou o ensejo para pedir uma interrupção. “Ainda não terminamos a discussão, porque precisaria fazer ajuste ao plano, então pediria ao Dr. Arnoldo a suspensão temporária, para discutir por mais duas horas com todos os grupos de credores”, solicitou.

Wald disse que, ainda que a companhia estivesse de acordo com o adiamento, teria dificuldade de concedê-lo. “Entendo que seria uma forma de desobedecer a determinação judicial que fixou prazo e data. O adiamento foi requerido em duas instâncias e indeferido nos dois. Se estamos realizando a assembleia nessas circunstâncias, de pandemia, acho que não é o caso. Minha intenção é realizar a votação ainda hoje”, disse.

O administrador judicial tampouco atendeu o pedido de Abreu, de paralisação por mais duas horas. “Foi instalada mediação para discutir com os credores bancos, que tiveram tempo necessário para compreender o plano e podem votar a favor ou contra, mas não há mais como procrastinar uma assembleia. Com relação a mais tempo, é preciso saber se há viabilidade de chegar a uma conclusão. Se a companhia tem objetivo de compor com esses credores, sob pena de eternizarmos a assembleia"justificou.

Wald lembrou que a primeira AGC da Oi durou 24 horas. "Entendo que estamos no limite do horário. Existem milhares de outros credores”, justificou, ao ceder apenas mais 1 hora de suspensão para negociações. A transmissão deve retornar às 18h30.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação