Renda Brasil

Bolsonaro desiste do Renda Brasil e põe em xeque equipe econômica

"Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final", apontou o presidente

Ingrid Soares
postado em 15/09/2020 10:46 / atualizado em 15/09/2020 12:04

A relação do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes está cada vez mais abalada. O presidente Jair Bolsonaro ameaçou com um “cartão vermelho” a equipe econômica na manhã desta terça-feira (15/9). Em uma publicação nas redes sociais, o chefe do Executivo postou uma mensagem afirmando que “congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”.


Ele emendou ainda que o governo “jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos”. Por fim, Bolsonaro anunciou a desistência sobre o programa Renda Brasil, que ficaria no lugar do Bolsa Família.
Em vídeo publicado, visivelmente irritado, Bolsonaro comentou notícias de que o governo estuda congelar nos próximos dois anos as aposentadorias e pensões para economizar recursos para bancar o Renda Brasil.


“Acordei hoje surpreendido com manchetes em todos os jornais. O Globo: "Por Renda Brasil, governo quer congelar aposentadorias". Estado de S. Paulo: "A economia propõe congelar aposentadoria para criar Renda Brasil". Folha de S. Paulo: “Governo quer cortar R$ 10 bilhões em auxílio para idosos e pobres com deficiência”. Correio Braziliense: “Em prol do Renda Brasil, governo estuda suspender reajuste dos aposentados”. Eu já disse há poucas semanas que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos”, declarou.


Em nova indireta para Guedes, Bolsonaro ressaltou também que os que pensam nesses tipos de medidas “não tem coração”.


“Quem por ventura vier a propor para mim uma medida como essa, eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa. É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento de como vivem os aposentados no Brasil. Vou dizer a todos vocês, de onde veio, pode ser que alguém da Economia tenha falado sobre essas coisas, pode ser, mas por parte de governo, jamais vamos congelar salário de aposentados bem como jamais vamos fazer com que auxílio para idoso e pobre com deficiência seja reduzido para qualquer coisa que seja”, prometeu.


Ao encerrar o vídeo, Bolsonaro acenou ter desistido do Renda Brasil. “Até 2022 no meu governo, está proibido falar em Renda Brasil, vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”, concluiu.
Bolsonaro se reuniu às pressas com Guedes nesta manhã. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles também participou do encontro que abordou ainda as queimadas no Pantanal
 

Renda Brasil

O Renda Brasil fazia parte do pacote Pró-Brasil. No entanto, o governo não chegou a um consenso sobre a fonte dos recursos para tirar a medida do papel. No último dia 26, Bolsonaro tornou público seu descontentamento com a equipe econômica, capitaneada pelo ministro Paulo Guedes.

O chefe do Executivo afirmou que pediu a suspensão do anúncio do super pacote porque segundo ele, “não poderia tirar dos pobres para dar a paupérrimos”. Bolsonaro disse que ouviu propostas de utilizar o abono salarial de trabalhadores como uma das fontes para bancar o programa, mas refutou a ideia e afirmou que não levaria essa discussão ao Congresso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação