Congresso

Mourão considera "muito complicado" aprovar reformas este ano

Sobre a fonte de recursos para a criação do novo programa social do governo, Mourão destacou que é preciso respeitar o teto de gastos. "O resto é tudo especulação e discussão", disse

Ingrid Soares
postado em 15/10/2020 15:10
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, comentou nesta quinta-feira (15/10) que acha "muito complicado" aprovar ainda em 2020 as reformas administrativa e tributária por conta das eleições municipais. 

"Eu acho muito complicado ser aprovado neste ano, porque temos mais um mês para as eleições municipais, estão colocando toda a atenção do Congresso nelas, porque é a base dos congressistas. Depois que terminar esse período das eleições, vai ter mais vinte e poucos dias até o recesso do Congresso", lembrou.

O general também comentou que "seria uma boa ideia" se o Congresso iniciasse os trabalhos em janeiro e não em fevereiro, para adiantar as discussões das reformas. Sobre a fonte de recursos para a criação do novo programa social do governo, o Renda Cidadã, Mourão destacou que é preciso respeitar o teto de gastos.

"Nós temos que manter a âncora fiscal. A que nós temos hoje é o teto de gastos, isso aí o ministro Paulo Guedes tem repetido à exaustão, todos aqueles do Ministério da Economia também. O resto é tudo especulação e discussão", concluiu em fala a jornalistas no Palácio do Planalto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação