RELAÇÕES EXTERIORES

Brasil e EUA: encontro comercial prevê investimento americano no país

Em outubro, Corporação Financeira dos EUA para o Desenvolvimento Internacional propôs investimentos de quase U$1 bilhão em quatro projetos no Brasil

Bruna Lima
postado em 19/10/2020 14:36
 (crédito: Nicholas Kamm/AFP)
(crédito: Nicholas Kamm/AFP)

A delegação americana, liderada pelo conselheiro de Segurança Nacional, Robert O’Brien, desembarcou, nesta segunda-feira (19/10), no Brasil, para participar de uma série de encontros com o governo federal e representantes do setor privado comercial. O objetivo da visita é a assinatura de um pacote bilateral de acordos visando a desburocratização e aceleração das relações comerciais entre os dois países.

Na ocasião, membros da Corporação Financeira dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (DFC, abreviação em inglês) também assinam duas cartas de intenção para investimentos de U$559 milhões para dois projetos.

A primeira iniciativa garante U$259 milhões para a Smart Rio, projeto de modernização em iluminação pública, instalação de câmeras de monitoramento e instalação de pontos de acesso a Wi-fi no Rio de Janeiro. A DFC também prevê empréstimo de U$300 milhões a pequenas e médias empresas ligadas ao banco de investimentos BTG Pactual, com foco nas regiões economicamente mais vulneráveis no Norte e Nordeste e em ações de mulheres empreendedoras.

Recuperação pós-pandemia

Outros dois acordos de cooperação financeira para auxiliar no desenvolvimento internacional foram firmados em outubro. Para acelerar a recuperação pós-pandemia no Brasil, houve um empréstimo de U$ 400 milhões ao Banco Itaú, a fim de apoiar pequenas e médias empresas que sofreram com o impacto da pandemia. O foco, assim como o acordo com o BTG Pactual, é no alcance às mulheres e aos estados mais subdesenvolvidos do país. O outro investimento, na casa de U$25 milhões, permitirá que a TechMet Limited aumente a capacidade de produção de uma mina de cobalto e níquel no Piauí, com criação de empregos.

Atualmente, o DFC possui oito projetos ativos no Brasil, totalizando mais de um bilhão de dólares. Há, ainda, outros seis em projeto de preparação e que devem, juntos, totalizar U$800 milhões.

Comitiva

A comitiva dos EUA que visita o Brasil é liderada pelo conselheiro de Segurança Nacional, Robert O’Brien, que se reúne com figuras da cúpula do Executivo Federal, incluindo o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, além de representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e da Câmara Comercial Amcham.

Acompanham O’Brien a presidente do Eximbank, Kimberly Reed, o representante adjunto do Escritório do Representante de Comércio dos EUA (USTR, abreviação em inglês) Michael Nemelka e a diretora-executiva da DFC, Sabrina Teichman.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação