Mercado S/A

Amauri Segalla amaurisegalla@diariosassociados.com.br

Correio Braziliense
postado em 22/10/2020 23:29



“Enquanto o preço das ações da maioria das empresas recuperou boa parte das perdas geradas pela pandemia, os papéis dos bancos continuam abaixo dos valores negociados antes da crise do coronavírus”

 

Ações dos bancos vão se recuperar?
Os analistas do mercado acionário dizem que o setor mais atrasado da Bolsa brasileira é o bancário. Enquanto o preço das ações da maioria das empresas recuperou boa parte das perdas geradas pela pandemia, os papéis dos bancos continuam abaixo dos valores negociados antes da crise do coronavírus. As ações das quatro maiores instituições financeiras do país — Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil — amargam perdas que chegam perto de 40%. O movimento, segundo alguns gestores, não faz sentido. Por isso mesmo, as ações dos bancos representam uma boa oportunidade de investimentos em 2021. É isso o que diz James Gulbrandsen, fundador e gestor da NCH Capital. Em live promovida em conjunto pelo podcast Stock Picker e a Manchester Investimentos, o especialista disse que os bancos serão as grandes estrelas da Bolsa no ano que vem. “O ano de 2020 será para esquecer, mas muitas coisas boas virão em 2021”, afirma o executivo.

 

Pizzas voadoras
A entrega de mercadorias por drones começa a virar realidade no Brasil. Em Campinas (SP), uma parceria entre o iFood e a startup SpeedBird adota o sistema desde o início de outubro. A intenção não é levar o produto à porta do consumidor final: as aeronaves decolam e aterrissam em droneportos, que funcionarão como centros de distribuição. Motoboys, portanto, continuarão responsáveis pela entrega final. Os drones são capazes de levar objetos de até dois quilos — pizzas serão o carro-chefe.

 

Os gigantes também erram
Seis meses. Esse foi o tempo que durou a plataforma de streaming Quibi. Lançada com estardalhaço em abril, a plataforma tinha como ideia central oferecer vídeos apenas para smartphones, mas foi encerrada há alguns dias. O mais surpreendente é o time de pesos-pesados que estavam envolvidos no projeto. O principal executivo por trás da empresa é Jeff Katzenberg, superprodutor de Hollywood. O Quibi também contava com investimentos de gigantes como Disney, Goldman Sachs, Walmart e Warner.

 

O barato do cânhamo
O surgimento de estudos que comprovam os benefícios e a legalização do cultivo têm levado a um crescimento expressivo do consumo de produtos à base de cânhamo. Poucos segmentos ligados ao agronegócio são tão promissores. Estima-se que, até 2024, as vendas do setor possam ultrapassar US$ 100 bilhões anuais, o dobro dos valores atuais. O cânhamo é uma variedade da cannabis sativa, a planta que produz maconha, mas possui baixo índice de THC, componente que provoca a reação psicoativa.

 

“O futuro já existe, só não está distribuídode modo democrático. A revolução tecnológica, afinal, não é linear”
Federico Grosso, presidente da Adobe Brasil

 

2,5 bilhões
de pessoas, quase um terço da população mundial, acessam uma das plataformas do Facebook diariamente (além da marca mãe, fazem parte do grupo Instagram, Messenger e WhatsApp). Nenhuma empresa é tão global.

 

Rapidinhas
• O Roblox, um site e aplicativo de jogos on-line com personagens parecidos com os tijolos da Lego e milhões de mundos virtuais para explorar, é a nova febre entre as crianças de 9 a 12 anos. Nos Estados Unidos, três quartos dos jovens nessa faixa etária são usuários da plataforma. No Brasil, o site também se tornou um fenômeno.


• Os jogadores do Roblox usam dinheiro real (a partir de US$ 5) para comprar moedas que dão acesso a novos universos — são 20 milhões de mundos dentro da plataforma. O game faz tanto sucesso que a empresa que o criou, a Roblox Corporation, vai abrir o capital. No início do ano, foi avaliada em US$ 4 bilhões.


• A maioria das pessoas associa a Amazon ao comércio eletrônico, mas a principal parte da geração de lucro da empresa vem do serviço de computação em nuvem, conhecido como AWS (Amazon Web Services). O segmento fatura por ano
US$ 40 bilhões. Já as vendas on-line representam 50% do faturamento, mas só 12% do lucro.


• O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou a projeção da alta do PIB da agropecuária em 2020. A estimativa passou de 1,6% para 1,9%, o que se deve em boa medida ao aumento da produção nos últimos meses, especialmente de café e soja. Para analistas, o agro deve ser um dos raros setores da economia com resultado positivo em 2020.

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação