CB Agro

Até domingo na Granja do Torto, Expoabra abre era digital no agronegócio

Feira reúne palestras, shows e oficinas de capacitação para produtores rurais em uma plataforma virtual. Local da exposição também estará aberto ao público, mas com capacidade limitada a 150 pessoas.

Bruna Pauxis*
postado em 06/11/2020 19:34
Eugenio Farias, diretor-presidente do Parque de Exposições Granja do Torto -  (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Eugenio Farias, diretor-presidente do Parque de Exposições Granja do Torto - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O Parque de Exposições Granja do Torto retomou uma vocação clássica: promover as últimas novidades do setor agropecuário. Após 12 anos de interrupção, o espaço lançou mais uma edição de Expoabra. Só que este ano, com uma novidade importante: em formato digital.

No CB Agro de hoje (6), o diretor-presidente do Parque de Exposições Granja do Torto (PGT), Eugenio Farias, explicou a nova proposta da Expoabra, que começou ontem (5/11) e vai até domingo (8/11). "A feira é a retomada do Parque de Exposições Granja do Torto”, disse Eugenio. Ele ressaltou o fato de que as exposições agropecuárias estavam interrompidas desde 2008. O projeto conta com palestras, capacitações para produtores, leilões e shows sertanejos — tudo de forma digital, com formato de navegação 360 graus, que permite ao visitante interagir com a plataforma.

A expectativa da feira é captar R$ 150 milhões de investimento privado de empresas do setor agropecuário para o projeto Cidade Agro, do PGT. “A ideia do Cidade Agro é a transformação do Parque de Exposições em uma unidade em Brasília, que tenha empresas hospedadas, do setor agropecuário, conectadas à agricultura 4.0, com inovação, tecnologia e que, a partir daqui, recebam incentivo para se instalar e fazer sua operação acontecer”, explicou o diretor-presidente.

Farias disse que o objetivo é “transformar Brasília na capital da produtividade”. Ele contou que, embora a cidade tenha boa presença na produção de grãos e na avicultura, ainda precisa crescer em outros setores, como na bovinocultura e ovinocultura. “Quando comparamos o agro às cadeias do setor público e de serviços, o PIB (Produto Interno Bruto) não tem uma participação expressiva. Por isso abre a possibilidade de buscarmos, junto ao governo, o incentivo fiscal”, disse Farias.

Sobre as queimadas na Amazônia, o diretor-presidente do PGT se alinhou ao discurso do governo federal e disse haver “uma guerra de mercado”. “Existe um interesse comercial no mundo em função do alimento que é produzido no Brasil. A competitividade que o país oferece nos preços dos produtos, na minha humilde opinião, influencia muito mais do que efetivamente as questões da queimada e o que acontece paralelamente a isso”, afirmou o Eugenio Farias.

Para assistir à íntegra da entrevista, clique no link abaixo.

A Expoabra

Para o diretor-presidente do PGT, a Expoabra Digital expande os horizontes do setor do agronegócio. "Nós tivemos uma estatística do nosso sistema para mais de mil usuários acessando a plataforma em tempo real e assistindo nossas palestras. Dentro do parque, em função da pandemia, nós podemos ter só 150 pessoas, mais a equipe técnica”, explicou.

Farias afirmou que tanto o PGT quanto a Expoabra têm o compromisso com a educação do produtor rural, focada na capacitação digital para adequar o trabalhador às novas tecnologias que adentram o campo. Outro pilar do evento é a inserção das mulheres no agronegócio, tema de uma das palestras. “Não temos que dar espaço às mulheres. Temos que respeitar o espaço que elas já têm no campo”, opinou Farias.

A programação da feira na Granja do Torto está disponível no site da Expoabra. Hoje e amanhã há leilões programados -- o deste sábado começa às 15h -- e, mais tarde, show da dupla sertaneja Kadu e Edu. Para amanhã a atração da noite é Alisson e Ariel. Os shows começam às 21h e podem ser assistidos pelo site ou presencialmente no parque, com um número de limitado de pessoas. Os ingressos estão disponíveis também no site no evento.

* Estagiária sob supervisão de Carlos Alexandre de Souza 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação