Conjuntura

Faturamento industrial de setembro é o maior desde 2015

Dados da Confederação Nacional da Indústria mostram sinais consistentes de recuperação, mas indicadores ainda estão abaixo do patamar de 2019

Bruna Pauxis*
postado em 06/11/2020 21:42
 (crédito: Divulgação/IBGE)
(crédito: Divulgação/IBGE)

Segundo dados divulgados nesta sexta-feira (6/11) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o mês de setembro foi “excepcionalmente forte” para a economia. O faturamento industrial registrou um aumento de 5,2% na comparação com agosto — mês que superou o nível pré pandemia. É o melhor desempenho registrado pela CNI desde outubro de 2015.

O faturamento da indústria em setembro é 12,6% acima do registrado em setembro de 2019. Mas, no acumulado de janeiro a setembro, o desempenho financeiro do setor ainda se encontra 1,9% abaixo na comparação com 2019. O motivo são as quedas expressivas em março e abril, período em que o isolamento social era mais observado nos grandes centros.

No mercado de trabalho, o emprego industrial marcou o segundo mês consecutivo de alta. Já havia avançado 1,3% em agosto e registrou 0,5% a mais em setembro. Em relação a setembro de 2019, o item registrou um recuo de 1,7%. Os Indicadores Industriais revelam também que as horas trabalhadas na produção aumentaram 2,8% e se aproximaram muito do patamar de fevereiro, antes das medidas de contenção do coronavírus.

A massa salarial, dessazonalizada, aumentou 0,3% em setembro, após ter avanço de 6,1% em agosto. Em relação ao mesmo mês de 2019, a massa está 2,8% menor, devido às suspensões de contrato ou reduções da jornada acompanhadas de diminuição salarial. Essas medidas afetaram também o rendimento médio real pago aos trabalhadores da indústria, que foi o único a recuar em relação a agosto. A retração foi de 0,5% em setembro, após alta de 4,6% no mês anterior.

Já a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) da indústria de transformação alcançou 79,4% em setembro, após ajuste sazonal. A taxa é a maior desde abril de 2015, quando superou 80% pela última vez. A UCI de setembro supera em 1,7% o registrado no mesmo período do ano passado.

* Estagiária sob supervisão de Carlos Alexandre de Souza

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação