ENERGIA

Bandeira vermelha volta e conta de luz fica mais cara a partir desta terça

Devido à queda no nível dos reservatórios, Aneel reativa sistema de bandeiras tarifárias. Dezembro começa com bandeira vermelha 2, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos

Rosana Hessel
postado em 30/11/2020 21:31 / atualizado em 30/11/2020 21:54
 (crédito: Carlos Silva/CB/D.A Press - 26/8/14
)
(crédito: Carlos Silva/CB/D.A Press - 26/8/14 )

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, em reunião extraordinária realizada nesta segunda-feira (30/11), reativar o sistema de bandeiras tarifárias a partir de dezembro devido à queda no nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas. Ficou estabelecida a bandeira vermelha patamar 2, com o custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

De acordo com comunicado da Aneel divulgado nesta noite, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a agência tinha decidido, em maio, manter a bandeira verde acionada até 31 de dezembro deste ano. "Contudo, a queda no nível de armazenamento nos reservatórios das hidrelétricas e a retomada do consumo de energia levaram à revisão da decisão hoje", destacou a nota.

O sistema de bandeiras tarifárias funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no País. Quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na tarifa. Em condições ruins, podem ser acionadas as bandeiras amarela, vermelha 1 ou vermelha 2.

“Com o anúncio da bandeira vermelha patamar 2 é importante que os consumidores busquem evitar o desperdício de água e energia”, disse o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, em nota divulgada pela agência.

Dados do ONS

Conforme dados da página do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível dos reservatórios dos sistemas está abaixo de 50% em praticamente todas as regiões do país até o último dia 29. A exceção ficou com o Subsistema Nordeste, composto pelas bacias dos rios Jequitinhonha e São Francisco, com média de 52,32%.

O subsistema mais crítico é o Sudeste-Centro-Oeste, composto pelas bacias dos rios Grande, Paraíba do Sul, Paraná Paranaíba Paranapanema, São Francisco, Tietê e Tocantins, com média atual dos reservatórios em 18,11%. Na sequência, o Subsistema Sul, composto por reservatórios nas bacias dos rios Capivari, Iguaçu, Jacui, Paranapanema e Uruguai, com média de 18,63%.

Dicas da Aneel para economizar energia em casa:

Chuveiro elétrico

>> Tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos

>> Selecionar a temperatura morna no verão 

>> verificar as potências no seu chuveiro e calcular o seu consumo

Ar condicionado

>> Não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar condicionado

>> Manter os filtros limpos

>> Diminuir ao máximo o tempo de utilização do aparelho de ar condicionado

>> Colocar cortinas nas janelas que recebem sol direto

Geladeira

>> Só deixar a porta da geladeira aberta o tempo que for necessário

>> Regular a temperatura interna de acordo com o manual de instruções

>> Nunca colocar alimentos quentes dentro da geladeira

>>Deixar espaço para ventilação na parte de trás da geladeira e não utilizá-la para secar panos

>> Não forrar as prateleiras

>>Descongelar a geladeira e verificar as borrachas de vedação regularmente

Ferro de passar

>> Juntar roupas para passar de uma só vez

>> Separar as roupas por tipo e começar por aquelas que exigem menor temperatura

>> Nunca deixe o ferro ligado enquanto faz outra coisa

Aparelhos em stand-by

>> Retirar os aparelhos da tomada quando possível ou durante longas ausências

Iluminação

>> Utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas e apagar a luz ao sair de um cômodo; pintar o ambiente com cores claras.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE