PESSIMISMO

FGV: consumidores esperam inflação de 5,2% em 12 meses a partir de dezembro

Consumidores estão preocupados com as pressões nos preços observada nos últimos meses, projetando para 2021 um cenário pior do que esperavam para 2020

Agência Estado
postado em 21/12/2020 08:38
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
A mediana da inflação esperada pelos consumidores para os próximos 12 meses subiu a 5,2% em dezembro, ante um resultado de 4,8% obtido em novembro, segundo o Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. Em relação a dezembro de 2019, houve elevação de 0,4 ponto porcentual.
"A mediana da expectativa de inflação dos consumidores para os próximos doze meses em patamar acima de 5% acende o sinal de alerta à autoridade monetária. Apesar das projeções de mercado sugerirem inflação dentro da meta para o ano que vem, os consumidores estão preocupados com algumas pressões nos preços observada nos últimos meses, projetando para 2021 um cenário pior do que esperavam para 2020 ainda que a atividade econômica se mantenha fraca no primeiro semestre", avaliou Renata de Mello Franco, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.
Na distribuição por faixas de inflação, 41,4% dos consumidores projetaram valores abaixo da meta de inflação de 4,0% para 2020, a menor parcela dos últimos seis meses. Já a proporção de consumidores prevendo inflação acima do teto de 5,5% da meta de inflação para 2020 aumentou 2,2 pontos porcentuais, de 33,8% em novembro para 36,0% em dezembro, a maior parcela dos últimos seis meses.
Houve elevação nas expectativas medianas para a inflação em todas as faixas de renda familiar, principalmente no grupo de maior poder aquisitivo. As famílias com renda acima de R$ 9,6 mil registraram alta de 0,5 ponto porcentual nas expectativas de inflação, para 4,5%, maior valor desde junho de 2019.
O Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores é obtido com base em informações da Sondagem do Consumidor. Aproximadamente 75% dos entrevistados respondem aos quesitos relacionados às expectativas de inflação.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE