MERCADO

Ibovespa fecha em alta e dólar tem queda de mais de 1%

O mercado começa a refletir o otimismo das campanhas de vacinação em vários países. No Brasil, o Ibovespa chegou a superar o recorde na máxima intradia e chegou aos 119.860 pontos

Bruna Pauxis*
postado em 29/12/2020 19:51 / atualizado em 29/12/2020 19:53
 (crédito: Marcelo Casal/Agencia Brasil - 14/8/20)
(crédito: Marcelo Casal/Agencia Brasil - 14/8/20)

O dólar teve queda de mais de 1%, em relação ao real nesta terça-feira (29/12). A moeda, que fechou o dia a 5,1827, havia apresentado alta ontem. A movimentação reflete a expectativa positiva do mercado sobre a reabertura econômica, fruto das campanhas de vacinação em vários países do globo.

Já o Ibovespa chegou a superar o recorde na máxima intradia, ao atingir os 119.860 pontos e se aproximar da marca simbólica dos 120.000 pontos. Às 17h14, o índice marcava alta de 0,25%, com 119.309 pontos, muito perto de superar sua máxima nominal histórica de 119.527,63 pontos. No mês, o indicador acumula alta de 9,73%.

Sobre a inflação, o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) encerrou o ano com alta acumulada de 23,14% — resultado mais elevado para um ano em 12 anos —, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em relação ao registrado no mesmo período em 2019, quando somou 7,30%, o resultado é quase o triplo. A porcentagem é a maior desde 2002, quando o IGP-M marcou alta de 25,31% no ano.

Sobre o cenário internacional, as principais bolsas europeias registraram ganhos, que refletem ainda o Brexit e as campanhas de vacinação no país. O índice FTSE 100, da bolsa de Londres, subiu 0,76% hoje e o índice pan-europeu STOXX 600, subiu 0,76%, sua quinta sessão seguida de altas.

Nos Estados Unidos, o líder republicano no Senado dos EUA, Mitch McConnel, bloqueou a proposta de Chuck Schumer, líder democrata da casa para aprovar de maneira rápida, por unanimidade, o aumento do pagamento individual do pacote de estímulo fiscal do país de US$600 para US$2.000. O projeto — que já passou na Câmara ontem (28/12) — deve ser aprovado ainda, por uma maioria de 60 dos 100 senadores, para passar a valer.


Vacina, auxílio e Brexit


“O mercado acionário global segue em evolução, sustentado pelo pacote fiscal nos EUA, acordo do Brexit e o início da vacinação em massa contra a covid-19”, afirma Pedro Galdi, analista de investimento da Mirae Asset Corretora.“O Ibovespa segue pelo mesmo caminho e apresenta uma valorização de 9,4% no mês de dezembro e reverteu para o campo positivo com 3%. Se confirmado o aumento do pacote nos EUA as bolsas de valores podem continuar o rali dos últimos dias”, completa.

Galdi comenta, sobre o Ibovespa, que o índice ainda pode subir para fechar o ano. “O Ibovespa seguiu em alta durante todo o pregão, mas perdeu força próximo ao fechamento. Acreditamos que exista espaço para o Ibovespa andar mais um pouco no último pregão do ano, que é amanhã”, conta. “Mas atenção ao volume financeiro que vai perder força hoje e amanhã”, finaliza o analista.

Para Gustavo Bertotti, economista da Messem Investimentos, os mercados hoje refletem ainda as informações de ontem, principalmente sobre a questão fiscal dos EUA e o Brexit, o que, por sua vez, marca o mercado brasileiro. "Estamos vendo um Ibovespa muito atrelado ao mercado internacional", afirma Gustavo. O economista atenta que o mercado será reflexo, nos próximos meses, das campanhas de vacinação que iniciaram este mês em diversos países.

“Temos um dezembro marcado por um mundo se organizando com planos de vacinação. A gente sabe que os países que mais se organizarem em relação a isso (vacinação) terão uma retomada econômica mais rápida", conta Gustavo. Para ele, o Brasil está desorganizado, devido ao relaxamento das medidas restritivas sobre a pandemia e, também, aos assuntos políticos do país. “Novamente temos um embate político que vem desde a questão fiscal e agora em relação à vacina. Estamos atrasados”, conclui.

* Estagiária sob supervisão de Carlos Alexandre Souza

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE