Infraestrutura

Dois meses depois de um apagão de 22 dias, Amapá volta a ter blecaute

Falha em linha de transmissão deixou 13 dos 16 municípios do estado sem energia. Empresa responsável, LMTE diz que questão foi resolvida. ONS informa que 110 MW da carga foram restabelecidos às 17h15

Simone Kafruni
postado em 13/01/2021 19:28
 (crédito: Reprodução/Internet)
(crédito: Reprodução/Internet)

Cerca de dois meses depois do apagão que durou 22 dias no Amapá, pelo menos 13 dos 16 municípios do estado voltaram a registrar falta de energia, nesta quarta-feira (13/1), informou a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), distribuidora da região. Às 17h15, 100 megawatts da carga tinham sido restabelecidos. 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) cobrou explicações da concessionária Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE) sobre novo blecaute. Em ofício encaminhado à LMTE, a agência dá um dia de prazo, a contar do recebimento do documento, para que a empresa esclareça a ocorrência e as medidas que estão sendo adotadas para solucionar o problema e evitar reincidências.

A LMTE informou que sofreu uma ocorrência “externa ao seu controle na linha de transmissão de Laranjal à Macapá, que abastece sua subestação Macapá e que a questão já foi resolvida”. “A concessionária disponibilizou as linhas de transmissão instantaneamente (em 1 minuto). Portanto, a disponibilidade de suas instalações de transmissão foi rapidamente normalizada”, disse em nota.

Sistema frágil

Tal evento, segundo a LMTE, ocorre diariamente no Brasil, nove por dia conforme relatório do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). “No caso particular, com consequência de falta de energia em um estado, expõe a fragilidade do sistema de energia do Amapá, que não conta com redundância devido a questão de planejamento setorial”, acrescentou a companhia. A LMTE destacou que a subestação Macapá e seus três transformadores funcionam sem registro de intercorrências.

O ONS, responsável pela coordenação da operação do Sistema Elétrico, incluindo o monitoramento do fornecimento de energia em todo o Brasil, informou que, às 15h53, houve o desligamento dos dois circuitos da linha de transmissão, em 230 kV, Laranjal – Macapá e das hidrelétricas de Ferreira Gomes, Cachoeira Caldeirão e Coaracy Nunes, com interrupção de 250 MW no estado do Amapá.

“Às 16h38, toda a rede básica, ou seja, os sistemas que atuam em tensão igual ou superior a 230 kV, já estava restabelecida”, destacou. “O ONS continua acompanhando o restabelecimento por parte da distribuidora CEA. Até às 17h15, já tinham sido restabelecidos 110 MW de carga”, informou. Em conjunto com os agentes, o ONS irá elaborar o Relatório de Análise da Perturbação (RAP) para um diagnóstico desta nova ocorrência no estado do Amapá.

O Ministério de Minas e Energia (MME) disse, em nota, que junto com a Aneel e o ONS, acompanha o restabelecimento de energia elétrica no Amapá. "Neste momento, todos os equipamentos da rede básica já estão em operação. A causa da ocorrência será avaliada pelo ONS por meio do RAP", informou, em nota.

"O MME, Aneel e ONS acompanham as ações por parte da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) de forma alcançar o pleno restabelecimento do fornecimento elétrico no menor tempo possível", completou a pasta.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE