IMPOSTO DE RENDA

Bolsonaro diz que tentará isentar IR de quem recebe até R$ 3 mil

Segundo o presidente, ainda não foi possível realizar a promessa de campanha porque o Brasil tem uma dívida de R$ 700 bilhões em meio à pandemia

Ingrid Soares
postado em 14/01/2021 21:13 / atualizado em 14/01/2021 21:13
 (crédito: Sergio Lima / AFP)
(crédito: Sergio Lima / AFP)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (14/1), durante live, que tentará elevar em 2022 a isenção do Imposto de Renda para quem recebe salários de até R$ 3 mil. Segundo o presidente, ainda não foi possível realizar a mudança porque o Brasil possui uma dívida de R$ 700 bilhões em meio à pandemia.

"Gostaríamos de passar pra R$ 5 mil. Não seria de uma vez toda, mas daria para até o fim do mandato fazer isso aí. Não conseguimos por causa da pandemia. Nós nos endividamos em mais R$ 700 bilhões, não deu pra atender. Vamos ver se pro ano que vem pelo menos passe de R$ 2 mil para R$ 3 mil", apontou.


"O que eu tenho falado com a equipe econômica, tenho falado que não sou economista. Todo mundo sabe disso que o Posto Ipiranga é o Paulo Guedes. Mas tem um detalhe: Todo mundo que ganha R$ 3.000 por mês e desconta um pouquinho no Imposto de Renda dá em torno de R$ 28 bilhões por ano. Mas, no ano seguinte, quase tudo é ressarcido. Então, é um jogo contado de um ano para o outro. Temos que resolver isso aí. Até ajuda, no meu entender, a Receita a ter menos clientes", completou.

Por fim, Bolsonaro afirmou que a covid-19 trouxe uma situação "anormal" e comparou a mudança no imposto à compra de um carro. "Eu vou tentar, pelo menos para 2022, passar para R$ 300. Então não é: "Ah, não está cumprindo compromisso de campanha". Era compromisso, ia ser cumprido e aconteceu algo anormal. É você querer comprar um carro, seu parente fica doente e você não compra mais o carro. Ou vai deixar o seu parente morrer por conta disso dai?", questionou.

Em 2018, o presidente prometeu isentar o IR de quem ganha até R$ 5 mil. O limite de isenção praticado hoje é de R$ 1.903,98.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE