Mercados

Bolsa e dólar sobem em dia de pregão mais curto na volta do carnaval

Ibovespa tem alta de 0,78%, aos 120.355 pontos, sob efeito de commodities. A moeda norte-americana valoriza 0,80%, cotada em R$ 5,42, por desconfiança com situação fiscal

Simone Kafruni
postado em 17/02/2021 19:03 / atualizado em 17/02/2021 19:04
 (crédito: Gerd Altmann/Pixabay)
(crédito: Gerd Altmann/Pixabay)

Em dia atípico, com pregão mais curto por conta da volta do feriado de carnaval, o Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), teve alta de 0,78%, chegando aos 120.355 pontos. O movimento das commodities, como o petróleo e o minério, que seguem em alta, puxaram o índice, mesmo com início das negociações apenas à tarde. O dólar continua se valorizando em relação ao real por conta da desconfiança do mercado com a situação fiscal do país. Nesta quarta-feira (17/2), a divisa norte-americana subiu 0,80%, cotada em R$ 5,42.

De acordo com Gustavo Bertotti, economista-chefe de Messem Investimentos, o Ibovespa abriu em queda, mas se recuperou sem seguida puxado pelas blue chips (ações mais negociadas na B3). O dólar, em direção errática, subindo junto com a bolsa, é reflexo das preocupações com a possibilidade de um novo auxílio emergencial, que poderá comprometer o fiscal, e de desdobramentos políticos, com a prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) por apologia ao AI-5 e ataque ao Supremo Tribunal Federal (STF).

"A bolsa brasileira está muito ligada ao cenário externo. Tanto que caía até as 14h, mas, depois da divulgação da ata do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), que reforçou estímulo monetário, passou a subir. Isso porque a decisão de maior liquidez mundial beneficia exportadores de commodities, como o Brasil", explicou.

Outros dados globais que influenciaram a bolsa foram números melhores do varejo e produção industrial com leve alta nos Estados Unidos, segundo Bertotti. "A queda na contaminação e nas mortes por covid-19 nos EUA também colaborou, sinal de que a vacinação está dando certo e que a retomada econômica está mais próxima", assinalou.

Como os ativos da mineradora Vale e da petroleira Petrobras são atrelados ao petróleo e ao minério de ferro, que subiram nesta quarta-feira, o Ibovespa subiu puxado pelo desempenho das duas companhias, que têm peso relevante no índice. As ações da Petrobras tiveram alta de 3,87% as preferenciais, e de 4,11%, as ordinárias. Os papéis da Vale valorizaram 2,89%. “O mercado de petróleo está em franca recuperação, com redução do estoque e aceleração no preço do barril”, avaliou Bertotti.

Cenário doméstico

Na mesma direção que a Bolsa, o que é mais incomum, o dólar em alta reflete o cenário doméstico, disse o economista-chefe da Messem. “A moeda americana não perde força porque tem o componente doméstico, a prisão do deputado, o embate político e, principalmente, a preocupação do mercado com o fiscal, diante da possibilidade de novo auxílio emergencial”, explicou.

Segundo a Ativa Investimentos, outro ativo que subiu bem no pregão de hoje foi o da fabricante de armas Taurus. “Totalmente pelo decreto. O ativo segue fortemente influenciado pelas movimentações do governo, sejam positivas ou negativas. Os investidores que se posicionam neste ativo devem ficar atentos aos riscos envolvidos, pois qualquer interferência (derrubar decreto ou a população fazer pressão contrária) pode influenciar a ter o cenário modificado rapidamente”, afirmou Marcio Loréga, analista técnico da Ativa. As ações da Taurus subiram 14,62% no pregão desta quarta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE