DÍVIDA ALTA

Dívida pública federal sobe e vai a R$ 5,2 trilhões em março

O chamado colchão de liquidez do Tesouro Nacional, reserva utilizada para administrar a dívida pública, cresceu 19,96% entre fevereiro e março, chegando a R$ 1,12 trilhão

Rosana Hessel
postado em 29/04/2021 06:00
 (crédito:  Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
(crédito: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)

A dívida pública federal subiu 0,85% em março e alcançou R$ 5,24 trilhões, um aumento de R$ 44 bilhões em relação ao mês anterior. Esse dado é reflexo da emissão líquida de R$ 1,2 bilhão em títulos e da apropriação de juros de R$ 42,8 bilhões.

O chamado colchão de liquidez do Tesouro Nacional, reserva utilizada para administrar a dívida pública, cresceu 19,96% entre fevereiro e março, chegando a R$ 1,12 trilhão. É o maior patamar desde o início da série estatística iniciada em 2015.

De acordo com o coordenador-geral de operações da dívida pública, Luís Felipe Vital, essa reserva é suficiente para garantir a gestão dos títulos públicos por “pouco mais de sete meses à frente”. Ela pode, ainda, cobrir créditos extraordinários, caso necessário, para programas recriados, como o Benefício para a Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) ou mais gastos com Saúde. Ele não comentou o caso específico do Censo Demográfico.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE