CB.AGRO

Aos 49 anos, Ceasa mira expansão

Fernanda Strickland
postado em 09/10/2021 00:28
 (crédito:           Marcelo Ferreira/CB/D.A Press                          )
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )

As Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) completam, agora em outubro, 49 anos de existência. Para comemorar a data, a instituição montou uma extensa programação, que contará com a participação de produtores, funcionários e clientes, segundo o vice-presidente e presidente interino da Ceasa, Petronah de Castro Silva. Em entrevista ao programa CB.Agro, pareceria entre o Correio Braziliense e a TV Brasília, ele antecipou ainda os planos para a criação do Mercado Central de Brasília.

“Nós procuramos fazer uma programação dentro da segurança pandêmica, para não trazer nenhum problema de contaminação”, explicou Petronah ao comentar as comemoraçõe, que começam na próxima quinta-feira, dia 14. “Com parceria da Secretaria da Mulher, ônibus vão atender mulheres de produtores, que têm dificuldade ao acesso à saúde, para fazer sua prevenção”, informou. “Calculamos que, até a sexta-feira, cerca de 8 a 10 mil pessoas passarão pela Ceasa”, disse.

Na sexta-feira, a Câmara Legislativa fará sessão solene em homenagem ao aniversário da Ceasa. No dia 18, a participação será dos carregadores. “Eles são uma parte da Ceasa que é merecedora dessa homenagem. Muitas vezes=, eles passam despercebidos, mas são uma mão de obra fundamental, que precisa ser valorizada”, disse Petronah de Castro. No dia 21, haverá uma ação de plantação de ipês. Finalmente, no dia 27, haverá uma confraternização com os servidores.

Ponto intermediário entre o produtor e o consumidor, a Ceasa é uma força que gera emprego e renda. Apesar disso, de acordo com Petronah, há poucos funcionários na Ceasa de Brasília. “Os técnicos de mercado são oito. Só para comparar, em Goiânia, há de 35 a 40 técnicos”, disse.

Conforme o vice-presidente, “existe uma determinação para a expansão da Ceasa, pelo governo Ibaneis, para que a casa passe a ser um modelo para todas as demais”. Por conta disso, mais três prédios com boxes foram construídos. “A construção terminou em 2020; Neste mês de aniversário, vamos fazer a licitação do último prédio que tem 12 boxes.”

Mercado Central
Seguindo orientações do GDF, por meio da Secretaria da Agricultura, será construído o Mercado Central de Brasília, dentro da Ceasa. “A intenção é atrair mais pessoas à Ceasa e ter um novo ponto turístico, como é em outros estados. Estamos vendo toda a burocracia para tentar inaugurar em dois anos”, disse o vice-presidente.

De acordo com Petronah Silva, a empresa que vai administrar o Mercado Central será responsável por contratar todas as lojas e funcionários. “Os produtores serão beneficiados por meio dos produtos oferecidos. Em Brasília, há vários restaurantes que vão passar a operar lá. Isso vai beneficiar a Ceasa, pois vai atrair mais pessoas para o local”, afirmou. A previsão é de que mais de 2 mil empregos sejam gerados.

Brasil e Argentina acertam redução da TEC
Após reuniões entre chanceleres da Argentina e Brasil, os dois países divulgaram comunicado conjunto em que afirmam terem concordado em trabalhar para aprovar uma decisão no Mercosul para reduzir 10% da “maior parte do universo” da Tarifa Externa Comum (TEC), taxa cobrada na importação de produtos de fora do bloco. A taxa, hoje em média em 14%, varia de acordo com o produto e há exceções, como para o setor automotivo e sucroalcooleiro. De acordo com o comunicado, a redução não atingirá exceções já existentes no bloco. O texto não informa para que produtos a taxa de importação será reduzida nem o alcance do corte.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE