Crise na Economia

Após furo no teto, secretários do Orçamento e do Tesouro pedem demissão

Segundo a pasta de Economia, a decisão de ambos é de ordem pessoal. A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos

Ingrid Soares
postado em 21/10/2021 18:13 / atualizado em 21/10/2021 18:24

Os secretários Bruno Funchale (Tesouro e Orçamento) e Jeferson Bittencourt (Tesouro Nacional) pediram demissão dos cargos nesta quinta-feira (21/10). O anúncio foi feito por meio de nota pelo Ministério da Economia. Decisão ocorre um dia após a confirmação de que o governo fará uma manobra no teto de gastos para viabilizar um auxílio social de R$ 400 até o final de 2022, ano em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tentará a reeleição.

Segundo a pasta, a decisão de ambos é de ordem pessoal. "Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro (Paulo Guedes) pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país", diz um trecho.

Ainda segundo a Economia, a secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais. Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, informou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE