Banco Central

Fábio Kanczuk deixará diretoria do BC no fim do ano; Diogo Guillen é indicado

Diretor deve ser substituído pelo economista-chefe do Itaú Asset Management, que será sabatinado pelo Senado. Diogo Abry Guillen tem PhD em economia pela Princeton University e é professor vinculado ao Insper

Fernanda Strickland
postado em 11/11/2021 13:02
 (crédito: Geraldo Magela/Agencia Senado)
(crédito: Geraldo Magela/Agencia Senado)

O Banco Central (BC) anunciou nesta quinta-feira (11/11) a saída do diretor de política econômica da autarquia, Fábio Kanczuk, que deixará o cargo em 31 de dezembro. Com a mudança, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, indicou o economista-chefe da Itaú Asset Management, Diogo Abry Guillen, para o lugar. A nomeação cabe ao presidente da República, após aprovação pelo Senado Federal.

“Em nome do Banco Central, o presidente Roberto Campos Neto felicita o indicado Guillen e agradece ao diretor Kanczuk pelos relevantes serviços prestados ao Banco Central”, disse a autoridade monetária em comunicado.

Guillen é professor vinculado ao Insper Instituto de Ensino e Pesquisa. Também é bacharel e mestre pelo Departamento de Economia da PUC-RJ e PhD em economia pela Princeton University.

No fim de outubro, o BC havia comunicado a saída do diretor de organização do sistema financeiro e resolução, João Manoel Pinho de Mello, ao fim do seu mandato, também em 31 de dezembro. Segundo a lei da autonomia do BC, o mandato de Pinho de Mello poderia ser renovado por mais um ciclo. Para seu lugar, Campos Neto indicou o economista Renato Dias de Brito Gomes.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE