Rede social de Trump enfrenta problemas técnicos e acusações de plágio

Correio Braziliense
postado em 17/03/2022 00:01

Donald Trump está colocando a sua reputação de empresário em risco. Recém-lançada por ele, a rede social Truth, que pretende cativar o público da extrema-direita, continua trazendo dor de cabeça para o ex-presidente — e, claro, para os usuários. Além de problemas técnicos aparentemente incontornáveis, a plataforma enfrenta uma acusação de violação de direitos autorais. Segundo a empresa americana Mastodon, Trump teria se apropriado de um software indevidamente. Outra companhia, uma vendedora britânica de painéis solares para caminhões, afirma que o magnata roubou seu logotipo, baseado em uma letra "T" maiúscula com um ponto final. Os problemas são tão graves que a Truth mal nasceu e já começa a cair no ostracismo. Nos primeiros dias após o lançamento, chegou a ser o aplicativo mais baixado na App Store. Agora, não está sequer entre os 100 primeiros. Ao que parece, os radicais já estão satisfeitos com outros duas redes sociais em que tudo é permitido, a Gettr e a Parler.

Por que a Ucrânia atrai jogadores brasileiros?

A debandada de jogadores brasileiros de futebol da Ucrânia exige uma reflexão que é anterior à guerra. Como um país pobre — é apenas o 58º PIB do mundo, segundo ranking de 2020 feito pelo Fundo Monetário Mundial —, sem tradição no esporte e com tremenda instabilidade política pode atrair atletas do Brasil? A resposta é óbvia: isso só ocorre, ou ocorria, graças à incompetência dos dirigentes. Eles destruíram as finanças dos clubes e tornaram um produto nobre um grande fiasco.

Corretora Avenue lança plataforma com fundos internacionais

O mercado de investimentos está cada vez mais sofisticado. Corretora sediada nos Estados Unidos com foco no público brasileiro, a Avenue Securities abriu uma plataforma de fundos internacionais. São 40 produtos de gigantes como BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, e Pimco, responsável pela administração de US$ 2 trilhões, incluindo recursos de bancos centrais. No Brasil, essa indústria está em alta. Em 2019, o patrimônio líquido dos fundos somou R$ 7 trilhões, o maior valor da história.

Montadora chinesa GWM oficializa
investimento de R$ 10 bilhões

Agora é para valer. Depois de muita especulação, a montadora chinesa Great Wall Motor (GWM) confirmou que irá investir R$ 10 bilhões no Brasil até 2032, sendo R$ 4 bilhões até 2025. A fábrica da empresa no país pertencia à Mercedes-Benz e está localizada em Iracemápolis, no interior paulista. Segundo a GWM, a prioridade será a produção de SUVs e picapes elétricas e a expectativa é fabricar 100 mil veículos por ano. No curto prazo, a unidade deverá gerar 2 mil empregos.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE