Governo

Saque extra do FGTS começa nesta quarta (20); confira o cronograma

Podem fazer o saque todos os trabalhadores que tenham saldo nas contas ativas ou inativas do fundo, independentemente de estarem empregados, desempregados ou trabalhando informalmente

RAPHAEL PATI*
postado em 20/04/2022 05:55 / atualizado em 20/04/2022 05:56
 (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A partir desta quarta-feira, trabalhadores nascidos em janeiro já poderão realizar o saque extraordinário do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O valor máximo é de até R$ 1 mil. No total, pelo menos 40 milhões de pessoas terão acesso ao benefício e R$ 30 bilhões serão injetados na economia, de acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência. A ação poderá ser feita apenas uma única vez.

Podem fazer o saque todos os trabalhadores que tenham saldo nas contas ativas ou inativas do fundo, independentemente de estarem empregados, desempregados ou trabalhando informalmente.

Os trabalhadores podem consultar se têm direito ao benefício — além de valores e datas para receber o dinheiro por meio do site da Caixa Econômica Federal, das agências do banco, ou do aplicativo FGTS.

A operadora de atendimento Nathália Holanda vai sacar o dinheiro para quitar dívidas. "Tive uma lesão no joelho no final do ano passado e atrasei algumas dívidas", disse. "Pago aluguel e Fies. Eu nunca tinha sacado antes, agora vou aproveitar, já que o governo liberou."

Saulo Macedo, assistente de comunicação e marketing de 25 anos, já tinha usado o benefício antes e vai usar novamente para cobrir contas pendentes. "Farei o saque para cobrir algumas contas pendentes. Em 2018, utilizei o dinheiro para investir na compra de produtos para iniciar meu próprio negócio", disse.

Na visão do economista e doutorando da Universidade de Brasília José Henriques Junior, a inflação, que subiu nos últimos anos, reduziu a capacidade de compra do brasileiro. "O saque extraordinário do FGTS é extremamente importante para as famílias mais vulneráveis dado o cenário de alta inflação e crescente endividamento, mas a medida tende a ser paliativa do ponto de vista econômico e estrutural, ou seja, não resolve os problemas do país", disse.

Quase oito em cada 10 famílias no Brasil estão com dívidas, em atraso ou não, segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio (CNC). É a maior proporção desde o iníwcio da pesquisa, em 2010. 

Nascidos em Sacam a partir de
Janeiro 20 de abril
Fevereiro 30 de abril
Março 4 de maio
Abril 11 de maio
Maio 14 de maio
Junho 18 de maio
Julho 21 de maio
Agosto 25 de maio
Setembro 28 de mai
Outubro 1 de junho
Novembro 8 de junho
Dezembro 15 de junho

(Colaborou Michelle Portela)

*Estagiários sob a supervisão de Odail Figueiredo 

CONTINUE LENDO SOBRE