brasileirão

Uma noite de Veron

Joia do Palmeiras comanda triunfo sobre o Corinthians na casa do arquirrival e mantém time invicto e bem colocado no G-4. Derrota aumenta pressão sobre Tiago Nunes, alvo de protestos dos torcedores

Correio Braziliense
postado em 11/09/2020 00:17
 (foto: Cesar Greco)
(foto: Cesar Greco)

O Palmeiras venceu o Corinthians por 2 x 0, na Neo Química Arena, e continua como único invicto no Campeonato Brasileiro. O resultado no dérbi aumenta a pressão sobre o técnico Tiago Nunes e dá tranquilidade para Vanderlei Luxemburgo. O time alviverde se manteve entre os primeiros colocados, enquanto a equipe alvinegra permanece na metade inferior da tabela. A torcida do Timão protestou do lado de fora do estádio e houve confronto com a PM.

A vitória palmeirense começou a ser construída no fim do primeiro tempo, em uma bobeira de Fagner. Após rebote de Cássio, Lucas Lima chutou para o gol e o lateral-direito corintiano colocou o braço na bola, que iria para fora. Pênalti e expulsão. Na cobrança, Luiz Adriano abriu o placar.

Com um jogador a menos, o Corinthians não mostrou força para buscar o empate. Antes da expulsão, o clássico em Itaquera estava equilibrado. A melhor chance, inclusive, havia sido dos mandantes, quando Otero pegou a sobra na entrada da área e acertou uma bomba no travessão do Palmeiras.

Insatisfeito com seu sistema ofensivo, Tiago Nunes mexeu para o clássico. Otero foi titular pela primeira vez e atuou pelo lado esquerdo. Gustavo Mosquito ficava aberto pela direita, com Cantillo e Ramiro construindo pelo meio, e Gabriel como volante à frente da área.

No Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo apostou na mesma formação ofensiva que iniciou o confronto com o Bragantino na rodada passada. O time levava perigo em jogadas mais verticais, com pouca troca de passes. Foi dessa forma que surgiu o pênalti. Após chutão de Weverton, a bola passou por apenas três jogadores até Wesley sair na cara de Cássio, Lucas Lima pegar o rebote e Fagner colocar o braço na bola.

O gol e a expulsão facilitaram muito a vida do Palmeiras. Enquanto o Corinthians tentava se recompor e não conseguia chegar com perigo no ataque, a equipe alviverde tinha na velocidade pelos lados do campo a principal arma para ampliar. Aos 19, Lucas Lima roubou a bola de Lucas Piton e inverteu para Willian, que cruzou para Veron completar.

Com 2 x 0, só restou ao Palmeiras administrar a vantagem. O Corinthians, nervoso em campo e sem criatividade, ainda teve o zagueiro Danilo Avelar expulso aos 40, por ter recebido o segundo cartão amarelo. O que já era difícil ficou completamente impossível.

Em dois jogos seguidos em casa, com o estádio em Itaquera batizado de Neo Química Arena, o Corinthians ficou no empate com o Botafogo e perdeu para o Palmeiras. A equipe novamente mostrou dificuldades para agredir o adversário, mesmo com as mudanças de Tiago Nunes. Pressionado, o treinador tem mudado a forma de o time atacar e não tem visto resultado.

O Palmeiras conquistou a segunda vitória consecutiva no Brasileirão. Após o título paulista e a oscilação nas primeiras rodadas do campeonato nacional, Vanderlei Luxemburgo parece ter encontrado a melhor formação alviverde, com Wesley e Lucas Lima abertos na esquerda e na direita, respectivamente.

“É muito importante uma vitória no clássico, sabíamos do tamanho de um Palmeiras x Corinthians. Vitória importante para nos dar moral”

Gabriel Veron, autor do segundo gol do Palmeiras

“Tínhamos até um jogo controlado. Com a expulsão fica difícil. Estamos correndo, nos dedicando, mas os resultados não estão vindo, e a cobrança é natural”

Jô, centroavante do Corinthians


Show à parte de Galhardo consolida Inter na liderança

 (foto: Ricardo Duarte/Internacional)
crédito: Ricardo Duarte/Internacional

Thiago Galhardo deu a volta por cima na carreira em 2019, defendendo as cores do Ceará, após passagem complicada no Vasco. Chamou a atenção do Internacional, mudou de casa e, ontem, foi o comandante da importante vitória dos gaúchos sobre sua ex-equipe. O destaque do Brasileirão anotou os dois gols da vitória do líder por 2 x 0 sobre os cearenses, no Beira-Rio.

Galhardo chegou aos oito gols na artilharia, 13 no ano, mas não escondeu de ninguém o reconhecimento pelo ex-clube. O atacante ficou bastante emocionado no primeiro gol. Quase chorou. Em respeito, foi comedido na comemoração do segundo também. Saiu cansado antes do apito final, substituído, mas satisfeito pelo bom trabalho realizado.

Seus oito gols foram anotados nos últimos seis jogos. Curiosamente, após a greve lesão de Paolo Guerrero. Ele aceitou o desafio de jogar como centroavante e vem fazendo a diferença no Campeonato Brasileiro.

“Nós temos 30 jogos, todos os jogos tentamos fazer a mesma coisa: manter a bola. Alguns jogos vamos ter menos posse e finalização. Não vamos jogar sempre 100%, mas é importante saber sofrer. Nosso ataque começa na defesa e nossa defesa começa no ataque. Não à toa somos líder. Parabenizar a equipe. Não importa quem faz o gol, o importante é vencer”, comemorou o jogador colorado depois da vitória de ontem.

Num raro lance ofensivo do primeiro tempo, o Inter conseguiu abrir o marcador. Edenilson deu drible da vaca no marcador e cruzou para Galhardo fazer o gol. O novo astro dos gaúchos festejou de maneira contida, bastante emocionado. Festa vermelha e uma ducha de água fria em quem estava se apresentando de maneira impecável.

O Inter voltou com atitude diferente para a etapa final, numa pressão total pelo segundo gol. E logo chegou duas vezes com Sarrafiore, que não teve capricho nas finalizações. Edenilson e Boschilia pararam em Prass.

De tanto apertar, buscar o gol, os gaúchos definiram o triunfo após Boschilia servir o craque do jogo e nome da noite. Galhardo empurrou a bola para as redes sem dificuldades, aos 30 minutos.


Atlético-GO derrota o Vasco e vira devorador de cariocas

 (foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com)
crédito: Rafael Ribeiro/Vasco.com

O Vasco perdeu a chance de se aproximar dos líderes do Brasileirão ao ser derrotado pelo Atlético-GO por 2 x 1 de virada, ontem, em São Januário. Ex-jogador do Vasco, Renato Kayzer marcou os dois gols do time visitante. O Dragão também bateu o Flamengo nesta Série A, por 3 x 0.

Os gols saíram no segundo tempo. Após segurar uma pressão do Atlético, o Vasco abriu o placar aos 16 minutos com o artilheiro Cano. O meia Thalles Magno tocou, a bola desviou na defesa e o centroavante mostrou seu faro de gol, tocando de primeira na saída do goleiro.

A resposta do time goiano, no entanto, foi imediata. No lance seguinte, Renato Kayzer recebeu cruzamento de Nicolas e completou de cabeça para empatar a partida. Não demorou, e o time visitante ainda virou, novamente com Renato Kayzer. Aos 28 minutos, o atacante aproveitou cruzamento da direita e marcou mais uma vez de cabeça, virando o placar e garantindo a vitória.

No último minuto do tempo normal, Cano voltou a balançar as redes, mas o árbitro de vídeo anulou a jogada por toque de mão do argentino. Os dois times voltam a campo no domingo, pela décima rodada. O Atlético visita o Bahia, em Pituaçu, enquanto o Vasco faz um clássico contra o Botafogo, no Nilton Santos.


Grêmio passa pelo Bahia e encerra jejum

Sem vencer desde a estreia no Campeonato Brasileiro, o Grêmio reencontrou-se com a vitória ontem, ao bater o Bahia por 2 x 0, no Estádio de Pituaçu, pela nona rodada. Com a derrota, o Bahia permanece com nove pontos, na 14ª colocação. Comandada pelo interino Cláudio Prates, a equipe ainda espera pela estreia do técnico Mano Menezes, que assistiu ao jogo, mas ainda não fez sua estreia.

O Bahia começou melhor e criou boas chances para abrir o placar, mas parou em defesas de Vanderlei. Nas jogadas mais perigosas, o goleiro gremista evitou o gol em chute de Rodriguinho e contou com a sorte em cabeceio de Gilberto que foi para fora.

No entanto, quando atacou, o Grêmio foi fatal. Aos 23, Cortez cobrou lateral direto para a área, Diego Souza dividiu com o volante Edson e a bola sobrou para Alisson completar para o gol. Logo no início da segunda etapa, o Grêmio ampliou. Aos oito, a equipe visitante armou contra-ataque e Everton serviu o volante Darlan, que emendou de primeira para o fundo do gol.

O Bahia não se deu por vencido e passou a pressionar após o segundo gol. Rodriguinho arriscou de fora da área e acertou a trave e Rossi exigiu mais uma linda defesa de Vanderlei.

Mesmo com mais espaço, o jogo acabou ficando travado nos minutos finais, e o Grêmio teve experiência para administrar a vantagem e garantir a vitória.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação