Brasileirão

Noite para esquecer

Com atuação apagada de Gabigol, Flamengo joga mal e perde por 2 x 0 para o Ceará no Castelão. A derrota afastou o rubro-negro da liderança do campeonato e o time, agora, foca em jogo da Libertadores

Correio Braziliense
postado em 13/09/2020 23:47
 (crédito: LC Moreira/Estadão Contaúdo)
(crédito: LC Moreira/Estadão Contaúdo)

Gabriel Barbosa há muito tempo vem fazendo a diferença no Flamengo. Goleador, tem enorme crédito pelo time estar no alto da tabela do Brasileirão. Diante do Ceará, porém, teve uma atuação bem abaixo do esperado, desperdiçando chances de ouro neste domingo. Em noite sem inspiração do camisa 9, os cariocas foram surpreendidos pelo Ceará, perdendo por 2 x 0 e deixando escapar a chance de se igualar em pontos ao líder Internacional. Acabou superado pelo Atlético-MG, caindo para o quarto lugar.

Quem assistiu ao jogo no quente Castelão, em Fortaleza, certamente vai estar se lamentando. “Ah, se Gabigol tivesse acertado aquela cabeçada”, “se aquela tabela terminasse no pé bom” ou “faltou potência no chute” serão algumas das reclamações dos flamenguistas.

Gabriel, que dia desses reclamou de ficar no banco de reservas do Flamengo pela primeira vez, viveu uma atípica rodada de pontaria descalibrada. Nada deu certo. O Flamengo disputou um primeiro tempo em marcha lenta. O futebol de campeão restabelecido nos últimos jogos ficou distante de ser apresentado contra o bravo Ceará.

Mesmo assim, podia tirar o zero do placar. Michael cruzou na cabeça de Gabigol que, livre, errou o alvo. Ele aparecia novamente ao tabelar com Everton Ribeiro e, na cara de Fernando Prass, chutar por cima. O pé direito não é bom, vale lembrar.

Os companheiros insistiam em jogar para o 9. Ele ainda deu um chute fraquinho e chegou atrasado num carrinho em outro, esse já quando o placar era 2 x 0 contra.

Isso graças a uma volta arrasadora do Ceará na segunda etapa. O zagueiro Luiz Otávio, que já havia discutido com o companheiro Fernando Sobral em campo, subiu mais que os marcadores num escanteio e acertou forte cabeçada. Com 4 minutos, o Ceará festejava.

A bola área, por sinal, castigou o Flamengo. Aos 11, novo cruzamento e, desta vez, foi o volante Charles quem chegou para ampliar. Beijo na caneleira com foto da família e festa cearense

O Flamengo não apresentou nada que pudesse ameaçar a volta das vitórias do Ceará. O lance mais perigoso do time rubro-negro no segundo tempo aconteceu somente aos 32 minutos. Um chutaço de Vitinho que Prass espalmou. Diego cabeceou para fora, no rebote.

O Ceará se portou bem atrás e comemorou muito o merecido triunfo. A festa no fim do jogo mostra o quão valioso foi o triunfo frente ao atual campeão.

Ao Flamengo, fica a lição que precisa criar estratégias para não depender apenas de Gabigol. O atacante é diferenciado, mas não vai decidir sempre.

Uma cena curiosa durante a partida foi ver a auxiliar Lucimar Alves trabalhando com máscara. O acessório é indispensável pela luta contra o covid-19, mas dispensado em jogos de futebol. Ela preferiu, contudo, não se arriscar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação